• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
CENTRÃO Bruno Araújo diz que eventual saída do ministério 'não tira um segundo de sono' Declarações foram dadas em um evento na Prefeitura de São Paulo na manhã desta quinta-feira, em que o ministro anunciou a liberação de R$ 750,5 milhões para a gestão João Doria

Por: Agência Estado

Publicado em: 10/08/2017 16:31 Atualizado em:

Depois de partidos do Centrão aumentarem a pressão para o Palácio do Planalto redistribuir cargos e ministérios de partidos "infiéis", Bruno Araújo, tucano que comanda a pasta de Cidades, disse nesta quinta-feira, 10, que sua eventual saída "não tira um segundo de sono" da sigla e dele.

A bancada do PSDB ficou dividida na votação da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara, em 2 de agosto. Com quatro ministérios, o partido teve 22 parlamentares votando com o governo e 21 contra - quatro se ausentaram.

"O PSDB, quando foi para o governo, foi para ajudar a fazer uma mudança que acreditava ser necessária para o País. Não foi por cargos. Foi para emprestar sua credibilidade, sua história, e é assim que o PSDB se mantém", disse Araújo, em São Paulo. "Isso (sua eventual saída) não tira um segundo de sono do partido e muito menos meu", afirmou Araújo.

Obras

As declarações foram dadas em um evento na Prefeitura de São Paulo na manhã desta quinta-feira, em que o ministro anunciou a liberação de R$ 750,5 milhões para a gestão João Doria (PSDB) tocar obras de proteção a encostas, drenagem urbana e construção de unidades habitacionais. 

O anúncio ocorre dois dias após o presidente Michel Temer, em visita à capital, elogiar a "visão nacional" do prefeito Doria e acirrar as especulações acerca de sua candidatura à presidência.

Os recursos chegam após a Prefeitura anunciar um corte de investimentos em obras de R$ 4,5 bilhões neste ano. 

Araújo afirmou que os recursos foram liberados após uma revisão nos contratos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) assinados por sua Pasta com Estados e municípios.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.