• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
delação da JBS 'Temer recebeu R$ 15 milhões e guardou R$ 1 milhão no bolso', diz diretor da JBS Valor teria sido repassado pelo PT como forma de financiar campanha de Temer à vice-presidência

Publicado em: 19/05/2017 22:29 Atualizado em: 19/05/2017 22:50

Em vídeo divulgado nesta sexta-feira (19) pelo Supremo Tribunal Federal, o diretor da JBS, Ricardo Saud, relata que o presidente Michel Temer teria recebido R$ 15 milhões do Partido dos Trabalhadores para financiar sua campanha à Vice Presidência, em 2014. No entando, desse valor, Temer, ainda segundo o executivo, decidiu "guardar" R$ 1 milhão. 

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin determinou a abertura de inquérito para investigar Temer, o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) por corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa. 

De acordo com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Temer e Aécio agiram "em articulação para impedir o avanço da Lava-Jato". 

Em vídeo divulgado nesta sexta-feira (19) pelo Supremo Tribunal Federal, o diretor da JBS, Ricardo Saud, relata que o presidente Michel Temer teria recebido R$ 15 milhões do Partido dos Trabalhadores para financiar sua campanha à Vice Presidência, em 2014. No entando, desse valor, Temer, ainda segundo o executivo, decidiu "guardar" R$ 1 milhão. 

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin determinou a abertura de inquérito para investigar Temer, o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) por corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa. 

De acordo com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Temer e Aécio agiram "em articulação para impedir o avanço da Lava-Jato".  

Origem do dinheiro
Segundo Saud, o dinheiro entregue a Temer teria saído de uma conta administrada pela JBS com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar a campnha do PT às eleições de 2014.

A conta, de acordo com o executivo, tinha R$ 300 milhões. Ele explica que Guido Mantega teria solicitado a Joesley Batista que sacasse R$ 35 milhões para entregar a senadores do PMDB para garantir o apoio do partido à reeleição de Dilma. 

Pedido de financiamento
Em um trecho do vídeo, Ricardo Saud conta que, em um dos encontros com Temer, o então vice-presidente teria dito que havia combinado com valor com o PT 

"Nós estávamos ali no escritório político dele na Praça Panamericana. Ele me chamou e disse: 'Olha, Ricardo, o pessoal do PT vai mandar 15 milhões pra mim. Pra minha campanha. Tá tudo certo?' Eu falei: 'Nada, tudo errado. Eles não mandaram nada pro senhor até agora.' 'Mas não pode, eu tô lá esperando esse dinheiro, não sei o quê, como é que vou fazer com isso?' Eu falei: 'Não sei, eu vou conversar com o Joesley, vou pedir ao Joesley pra ver se está sabendo de alguma coisa pro senhor, porque não chegou nada.'"

Ainda de acordo com o delator, depois desse dia ele e Temer teriam tido mais um encontro. Dessa vez, no escritório da Vice-Presidência em Brasília, onde Temer teria definido como gastaria os R$ 15 milhões. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.