• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Proibição Operação Carne Fraca: Importação das empresas investigadas são suspensas na UE Suspensão ocorreu de forma sucessiva e imediata a reunião de Michel Temer com os embaixadores de 33 países no último sábado (18)

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/03/2017 09:31 Atualizado em: 20/03/2017 11:54

Foto: Evaristo Sá/AFP
Foto: Evaristo Sá/AFP
A importação de carne de todas as empresas brasileiras que estão envolvidas na Operação Carne Fraca foram suspensas nesta segunda-feira (20) pela União Europeia. 

A informação foi anunciada pelo porta-voz da Europa para assuntos de Saúde, Enrico Brivio, numa coletiva de imprensa em Bruxelas. "Estamos em um processo para garantir que todos aqueles envolvidos na fraude não possam exportar para a Europa", disse, lembrando que Bruxelas manteve "intensos contatos diplomáticos com o Brasil" nos últimos dias. "Pedimos ações e esclarecimentos", disse.

A mesma decisão já havia sido tomada pela Coreia do Sul, que proibiu de forma temporária a venda de produtos da BRF, que engloba marcas como Sadia e Perdigão. Mais de 30 empresas estão sendo investigadas na Operação. Entre elas, a JBS, das marcas Friboi e Seara, está sendo investigada por um esquema de corrupção que permite a venda de carnes estragadas, entre outros desvios.

No último sábado o presidente Michel Temer fez uma reunião com embaixadores de 33 países - incluindo o embaixador da Coreia do Sul - a respeito da Operação Carne Fraca. A suspensão foi sucessiva e imediata a reunião. Ainda no sábado, alguns números foram apresentados afim de mostrar que o sistema brasileiro de fiscalização não será afetado pelos casos investigados pela Polícia Federal.

Rodízio importado
 
Após os efeitos negativos da Operação Carne Fraca virem à tona, o presidente Michel Temer participou de um rodízios de carnes em Brasília neste domingo (19) com alguns dos embaixadores que participaram da reunião no sábado (18). As carnes bovinas oferecidas no local não eram nacionais e sim da Argentina, Uruguai e Austrália. 
 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.