• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Campanha Candidatos enfrentam desafios de mobilidade no Recife

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/09/2016 23:24 Atualizado em: 21/09/2016 00:15

Postulantes à Prefeitura do Recife saíram do Marco Zero às 18h, em horário de pico. Daniel foi sorteado para ir andando e chegou por último. Levou 1h17. João Paulo utilizou táxi, Priscila, Uber, e Carlos Augusto dirigiu o próprio carro. Foto: Paulo Augusto/divulgação
Postulantes à Prefeitura do Recife saíram do Marco Zero às 18h, em horário de pico. Daniel foi sorteado para ir andando e chegou por último. Levou 1h17. João Paulo utilizou táxi, Priscila, Uber, e Carlos Augusto dirigiu o próprio carro. Foto: Paulo Augusto/divulgação

Cinco postulantes à Prefeitura do Recife participaram, nesta terça-feira (20), da quinta edição do Desafio Intermodal para fazer uma reflexão sobre como a mobilidade mexe com a qualidade de vida das pessoas. Daniel Coelho (PSDB), Carlos Augusto (PV), Edilson Silva (PSol), João Paulo (PT) e Priscila Krause (DEM) aceitaram o convite para explorar as ruas da cidade, saindo do Marco Zero até a Praça de Casa Forte, para reproduzir o percurso comum dos recifenses no horário de pico.

Os candidatos saíram do Marco Zero às 18h, mas cada um utilizou um modal diferente para se deslocar, enfrentando as dificuldades de quem anda de transporte coletivo ou individual. O prefeito Geraldo Julio participou de uma caminhada no Pina, no mesmo horário, recebendo críticas dos adversários por não participar dos debates e discutir os problemas da Recife. A capital pernambucana tem um dos trânsitos mais violentos do país.

O primeiro a chegar ao destino foi Edilson Silva, que utilizou uma bicicleta comum, levando 40 minutos e 06 segundos no deslocamento. Edilson disse ter sentido muita dificuldade com os bueiros e a falta de ciclovias,  o que o levou a dividir o mesmo espaço dos carros e levar buzinadas. “Você pode causar um acidente se fizer um movimento brusco e se chocar com um carro uma moto. Se você não fizer um movimento brusco, pode passar por cima de um bueiro e emborcar”, disse ele.

Carlos Augusto chegou com 42min5 7, dirigindo o próprio carro. Foi o único concorrente que declarou não ter sofrido estresse com o trânsito, porque estava conversando com amigos e escutando música durante o percurso. Segundo Carlos Augusto, no entanto, a prioridade de uma eventual gestão verde é investir em transporte público de qualidade, com ar condicionado e horários definidos, bem como faixa exclusiva de ônibus. “Você só vai conseguir tirar o carro das ruas se o usuário perceber que, perto da casa dele, tem um transporte público com ar condicionado, com frequência e que vai chegar muito mais rápido”, observou.

João Paulo, por sua vez, passou 46min32 dentro de um táxi, ao custo de R$ 31. Ele disse ter enfrentado engarrafamento grande nas imediações da Cruz Cabugá, onde recentemente houve uma mudança de trânsito feita pela prefeitura. “Há uma necessidade de se priorizar os corredores exclusivos para ônibus e táxi, reduzir o custo do táxi para que possa ter uma competitividade maior e priorizar as calçadas e ciclovias para que a população tenha um transporte mais agradável”, declarou, lembrando que, na sua gestão, tomou a decisão política de criar uma ciclovia em Boa Viagem.

A candidata do DEM, Priscila Krause, levou 1h02 minutos do Marco Zero a Praça de Casa Forte, usando Uber, e pagou R$ 46,33 em virtude da tarifa dinâmica. Priscila, que já se comprometeu em criar condições de competividade para os taxistas, de modo que eles possam conviver com o Uber, acredita que demorou mais porque o primeiro motorista cancelou o pedido, ao ver o movimento de fotógrafos, com receio de emboscada.  

Houve uma certa expectativa com a chegada de Daniel Coelho, porque ele veio andando e levou 1h17 minutos - quase o mesmo tempo de Priscila Krause e de José Mariano, candidato a vice do PSTU. José Mariano participou do evento no lugar de Simone Fontana, que estava concedendo entrevista a uma emissora de televisão e levou 1h06 de ônibus. Daniel declarou que, além das más condições das calçadas, um dos pontos que mais lhe chamou a atenção foi a falta de lixeiras e a escuridão das ruas.

Segundo Daniel Valença, associado da Ameciclo, um dos organizadores do evento, o desafio levou em consideração o tempo, a energia calórica (gasta), a emissão de poluentes e o custo. “O objetivo é reproduzir um percurso comum para os recifenses no horário de pico e, neste ano, o percurso feito pelo Uber ficou em último lugar, principalmente em relação ao tempo e ao custo”.

Outras pessoas também participaram da quinta edição do Desafio Intermodal. Embora a disputa não trate de velocidade, mas faça a avaliação de outros quanto itens, como os citados acima, o vencedor foi o "pedestre correndo".

 

 (Candidato do PSol chegou de bicicleta. Foto: Ricardo Fernades/DP)

Candidato: Edilson Silva (PSol)
Modal utilizado: bicicleta passo comum
Tempo: 00:40:06

"Se a gente temciclovia ou ciclofaixa, eu teria chegado em 25 minutos. Eu vim pela Avenida Mário Melo, Rua da Hora, Avenida Rosa e Silva e 17 de Agosto. Mesmo eu estando colado no carro na minha frente, o carro de trás estava buzinando. Mesmo eu estando numa velocidade normal, ele buzinava. O outro desafio foi os bueiros, que representam um risco muito grande para os ciclistas. Você tem que andar muito ligado, porque se você se desviar deles, mesmo em velocidade baixa, você pode causar um acidente. Se fizer um movimento brusco, pode se chocar com um carro uma moto. Se você não fizer um movimento brusco, você pode passar por cima de um bueiro e emborcar.

Nós precisamos tomar uma decisão política de abrir espaço para a ciclofaixa e a ciclovia. Percebemos que existe um espaço para as bicicletas passarem entre os veículos e nós precisamos analisar, fazer uma pesquisa, ver qual é o tamanho da faixa de rolamento que temos hoje. Precisamos pressionar para que se elimine esses espaços que existem entre os carros. Aí, você vai ter que automaticamente diminuir a velocidade dos carros (para evitar acidentes). Esse espaço que as motos e bicicletas (entre os carros) usam você segrega para as bicicletas. Esse espaço entre os cargos é uma questão do código nacional de trânsito, a gente que estar nas grandes cidades a gente tem que brigar. Se tentou evitar que lobby de motos conseguiu frear isso. Ela faz isso com esse espaço que existe entre as faixas. Um metro de ciclofaixa, a gente chegava em 25 minutos".


Candidato: Carlos Augusto (PV)
Modal utilizado: carro próprio
Tempo: 00:42:57

"Primeiro temos que investir em transporte público de qualidade e faixa exclusiva de ônibus. Você só vai conseguir tirar o carro das ruas se o transporte de massa for de qualidade, se o usuário perceber que perto da casa dele tem um transporte público de qualidade, com ar condicionado, com frequência e que vai chegar muito mais rápido. O usuário tem que ter um transporte onde possa ler um livro ou se divertir, só assim ele deixa o carro em casa. Temos que investir em ciclovias e ciclofaixas, já tem mais de 10% da população que anda de bicicleta e 23% das pessoas andam a pé.
Geraldo Julio deve ter tido um compromisso muito importante, mas era importante ele estar aqui porque ele ia vivenciar mais a cidade, principalmente se ele pegasse um percuso a pé ou de bicicleta. Esse é um momento único onde todos os candidatos vivenciam os modais. Que isso sirva de incentivos e subsídios para a formação de políticas públicas. Se ele estivesse aqui, ia aproveitar agora essas informações para melhorar o trânsito do Recife".

João Paulo pagou R$ 31 ao utilizar o táxi no desafio. Ele foi o terceiro dos candidatos a chegar. Foto: Ricardo Fernandes/DP
João Paulo pagou R$ 31 ao utilizar o táxi no desafio. Ele foi o terceiro dos candidatos a chegar. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Candidato: João Paulo (PT)
Modal: táxi
Tempo: 00:46:32
Custo: R# 31,00


"Há uma necessidade de se priorizar os corredores exclusivos para ônibus e táxi, reduzir o custo do táxi para que possa ter uma competitividade maior e priorizar as calçadas e ciclovias para que a população tenha um transporte mais agradável (...) Eu vim de táxi. Conversamos sobre o problema do Uber, o taxista disse que há uma migração grande dos taxistas para o Uber. Ele não tem provas, mas há bastante policiais que estão dirigindo o Uber. Ele reclamou da ausência do poder público na regulamentação e falou dos dramas que têm o motorista de táxi, que enfrenta a omissão da atual gestão.

A bicicleta ainda proporciona um deslocamento mais rápido e confortável.  Quando eu era prefeito, criei a primeira ciclovia de Boa viagem e tivemos que administrar conflitos. Quando criamos a ciclovia em Boa Viagem, tiramos toda uma área grande de estacionamento, mas, em compensação, isso deu segurança ao ciclista e diminuiu uma faixa para o transporte individual. Em torno de 30% das pessoas, seja por ausência de recursos ou questões de saúde, têm se deslocado a pé ou de bicicleta. O conceito é trabalhar as prioridades da ciclovia e resolver a relação de Uber e táxi. Vamos manter as ciclofaixas no domingo, aquilo é uma parceria com o Banco Itaú (...). Geraldo Julio está tendo muita dificuldade de andar nas ruas. Ele tem evitado uma exposição maior porque há uma insatisfação muito grande com a gestão".

 

Priscila Krause utilizou Uber, modal que ficou em último lugar no desafio, em virtude do custo benefício. O primeiro motorista que atendeu o chamado da candidata cancelou o pedido, por medo que estivesse numa emboscada. Foto: Ricardo Fernandes/DP
Priscila Krause utilizou Uber, modal que ficou em último lugar no desafio, em virtude do custo benefício. O primeiro motorista que atendeu o chamado da candidata cancelou o pedido, por medo que estivesse numa emboscada. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Candidata: Priscila Krause (DEM)
Modal: Uber
Tempo: 1:02:17
Custo: R$ 46,33


"O primeiro motorista de Uber que aceitou a corrida, quando ele viu que tinha muita gente, muito fotógrafo, ficou com receio que fosse alguma coisa de apreensão, e a gente perdeu um pouco de tempo por causa disso. A condição do trânsito estava ruim, levei quase uma hora para chegar aqui. O Uber tem as mesmas características do carro. O que a gente tem que fazer, na verdade, é priorizar o transporte de massa, o ônibus, as calçadas, para que o pedestre caminhe. Temos que fazer a ampliação da faixa azul, a liberação das vias, para que possa fluir mais e colocar a bicicleta como modal no nosso sistema viário.
O Uber segue a lógica do carro que, infelizmente ou felizmente, não é tratado como prioridade. A lógica tem que ser Uber mais táxi, táxi mais Uber. A gente tem que regulamentar o Uber e rever a lei do táxi para dar uma condição de competição entre os dois segmentos. O que não pode é haver um clima que está acontecendo hoje, no Recife, de se colocar pais de família contra pais de família, de se apagar um incêndio com gasolina. O primeiro primeiro motorista que aceitou (a corrida), quando viu a quantidade de gente, pensou que era uma armação para que o carro fosse apreendido.
O prefeito não vem participando de nada. Ele só faz a propaganda oficial. Ele não participa do debate, só participa de entrevistas onde ele pode falar aquilo que ele quer e cuidar do guia eleitoral. Ele não dialoga com a cidade, ele não dialoga com o cidadão".

 

Daniel Coelho levou 1h17 minutos para chegar à Praça de Casa Forte. Foto: Ricardo Fernandes/DP
Daniel Coelho levou 1h17 minutos para chegar à Praça de Casa Forte. Foto: Ricardo Fernandes/DP

Candidato: Daniel Coelho (PSDB)
Modal: pedestre andando
Tempo: 01:17:03


"Além de a gente fazer avaliação que a gente já sabia, da questão das calçadas, uma coisa que ficou muito evidente foi a questão das lixeiras. A equipe terminou parando, comprando água e não tinha onde jogar fora. As calçadas estão em péssimo estado e, em diversos trechos, tivemos que andar no meio da rua. Com exceção da Rui Barbosa, praticamente não há lixeiras e há muito lixo espalhado nas ruas.

É preciso rever a Legislação atual das calçadas, que é uma consequência dos três últimos prefeitos. A lei foi implementada por João Paulo, João da Costa deu sequência, Geraldo Julio manteve. Essa lei mostra uma visão equivocada da cidade. A prefeitura tem responsabilidade da calçada,  tem que cuidar desse espaço público, não simplementes delegar isso para o proprietário do imóvel e para a iniciativa privada. Precisa mudar a lei, a partir daí, com padronização, a gente pode cuidar dos espaços e melhorar a situação do pedestre.

Ele (Geraldo Julio) está ausente de todos os debates e de todos os eventos. É muito evidente que ele tenta ganhar pela força do poder econômico, pela força da estrutura da máquina e pela força do tempo de televisão em decorrência dos acordos que foram feitos. Não me surpreende ele estar ausente neste momento porque esteve ausente em todos os eventos da campanha".



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.