• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Atos Manifestantes fazem atos pró-Dilma em Porto Alegre Os manifestantes entoavam gritos como "Fora Cunha", pedindo a cassação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha

Por: AE

Publicado em: 11/12/2015 21:20 Atualizado em: 12/12/2015 02:23

A capital gaúcha foi, nesta sexta-feira, 11, palco de manifestações em defesa da presidente Dilma Rousseff (PT) e contra o processo de impeachment. À tarde, centenas de pessoas fizeram uma caminhada entre o Parque Harmonia e o Palácio Piratini, no ato chamado de "A Marcha dos Sem".

Entre os participantes estavam integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do Movimento Sem Terra (MST) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), além de servidores públicos estaduais. Os manifestantes entoavam gritos como "Fora Cunha", pedindo a cassação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e "Não Vai ter Golpe". Também houve quem aproveitasse a ocasião para criticar o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB).

Devido à crise financeira enfrentada pelo RS, o governo gaúcho não vai pagar em dia o 13º do funcionalismo estadual. Os trabalhadores terão duas opções - retirar o benefício por meio de um empréstimo no sistema bancário, com os juros pagos pelo Estado, ou receber parcelado entre junho e novembro de 2016, com 25% de correção.

A Brigada Militar estimou o número de participantes em cerca de 1,5 mil pessoas. Os organizadores afirmaram que o público era maior. A "Marcha dos Sem" ocorre há muitos anos e tradicionalmente reúne pessoas que têm direitos reduzidos, sejam eles trabalhistas, de moradia ou outros.

Mais cedo, outro ato defendeu o mandato da presidente Dilma. Em frente à estátua de Leonel Brizola, sindicalistas e políticos criticaram o que chamaram de "tentativa de golpe". Estavam presentes os ex-governadores petistas Tarso Genro e Olívio Dutra o prefeito José Fortunati (PDT) e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.

Em 1966, quando era governador do Rio Grande do Sul, Brizola liderou a Campanha da Legalidade, mobilização para garantir a posse do vice-presidente João Goulart em 1961, após a renúncia de Jânio Quadros.

Neste domingo, assim como em outras cidades brasileiras, Porto Alegre terá uma manifestação pró-impeachment, organizada por grupos como o Movimento Brasil Livre. A concentração está marcada para as 15 horas, no Parque Farroupilha.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.