• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Morte do ex-governador Empresários donos de jato que caiu com Eduardo Campos querem ressarcir danos em prédios

Publicado em: 12/09/2014 15:59 Atualizado em: 12/09/2014 16:16

As vítimas afetadas pelo acidente do jatinho que estava o ex-governador e candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB), na cidade de Santos, em São Paulo, deverão ser indenizadas pelos compradores do avião. Por meio de advogados, os executivos pernambucanos João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira têm procurado famílias para tentar negociar acordos extrajudiciais.

 

De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira (12), os empresários querem indenizar os donos dos imóveis atingidos com a queda da aeronave. Além de Eduardo Campos, quatro assessores e os dois pilotos morreram no acidente no dia 13 de agosto. Diversos imóveis do entorno, entre eles uma academia de ginástica, foram atingidos.

O jatinho, um Cessna Citation, estava registrado na Agência Nacional de Avião Civil (Anac) em nome do grupo A. F. Andrade, dono de usinas de açúcar. No mês de maio, Mello Filho e Vieira acertaram a compra do avião e chegaram a pagar parcelas do financiamento, sem, porém, informar a venda à Anac. Após o acidente, esta operação prejudicou a identificação dos verdadeiros donos do avião.

“O que nos importa é pagar as indenizações”, disse o advogado dos dois empresários, Carlos Gonçalves Junior, que destacou que eles decidiram realizar as indenizações por “razão humanitária”.

Passageiros do jato não serão beneficiados

O início das negociações para indenizar os prejudicados com a queda da aeronave em Santos não envolve os familiares dos passageiros e pilotos do jato. O advogado dos empresários informou que a responsabilidade da queda do avião ainda está sendo apurada. Com isso, o pagamento da indenização poderá ser realizado por terceiros, a exemplo da empresa fabricante do avião. A Polícia Federal e Aeronáutica ainda apuram as causas da tragédia.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.