• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Em Caruaru » Câmara é o principal alvo no primeiro debate entre os candidatos ao governo

Thiago Neuenschwander - Diario de Pernambuco

Publicação: 03/09/2014 12:48 Atualização: 03/09/2014 15:41

Câmara, Zé Gomes e Armando participaram de debate na Rádio Liberdade, em Caruaru (Léo Caldas/Divulgação)
Câmara, Zé Gomes e Armando participaram de debate na Rádio Liberdade, em Caruaru


Os três candidatos ao governo do estado com maior percentual das intenções de voto, segundo as últimas pesquisas, participaram na manhã desta quarta-feira (3) do primeiro debate da campanha, na Rádio Liberdade, em Caruaru. Paulo Câmara (PSB) que obteve grande crescimento nas últimas consultas foi o alvo preferido dos adversários. O ápice do embate aconteceu no quinto bloco, quando Armando Monteiro (PTB) pediu que o socialista comentasse uma declaração de Eduardo Campos em que questionava o fato de Dilma ter assumido a Presidência sem nunca ter sido eleita para nenhum outro cargo político, assim como ele.

Segundo Armando, a declaração de Eduardo Campos teria sido dada a uma rádio do interior. Câmara justificou: "Armando, tive a oportunidade da participar do governo Eduardo. Fui acompanhado desde o primeiro dia. Fizemos grandes transformações... Nosso governo foi um exemplo de gestão, premiado internacionalmente. Nesse tempo, tive a oportunidade de criar relações políticas e na hora da escolha, meu nome foi aprovado por Eduardo e por 21 partidos, o que me deu legitimidade", disse.

Na réplica, Armando foi ainda mais enfático. "Seu perfil é do burocrata. Você tem domínio dos processos adminstrativos, mas nunca teve que liderar nada. Quero dizer o seguinte: Quando Eduardo buscou um nome, ele escolheu um gerente, porque ele sabia que continuaria a ser o líder. Sem ele, será que você terá essa condição?", questionou o candidato petebista.

Quando perguntado pelo candidato Zé Gomes (PSol) sobre as diferenças entre sua candidatura e a de Paulo Câmara, Armando voltou a ser incisivo. "Nossa perspectiva é de oferecer respostas. Nesse novo ciclo é necessário ter alguém que tenha liderança, lastro político próprio. Eduardo tinha estatura política, liderança. A despeito do muito que ele realizou, Pernambuco tem carências imensas na saúde, na educação... Se Eduardo não pôde dar a resposta adequada, imagine alguém que não tenha liderança, capacidade de articulação nacional, lastro político próprio", disparou.

Desde o primeiro bloco do debate, o socialista foi acuado pelos adversários. Na primeira pergunta, Zé Gomes questionou a situação das estradas no estado, dizendo que a falta de planejamento impediu o desenvolvimento social de algumas regiões. Paulo rebateu, dizendo que durante o governo Eduardo 2 mil km de rodovias e 11 acessos a pequenos municípios foram construídos. Paulo ainda citou algumas intervenções que pretende realizar, caso eleito, como a duplicação da BR-232 até Arcoverde. O candidato do PSol disse que as propostas são insuficientes para o escoamento da produção das cidades do interior.

Quando teve a oportunidade de questionar o seu principal adversário, Paulo perguntou a Armando sobre a necessidade de uma reforma tributária e afirmou que o governo Dilma foi incapaz de realizá-la. O petebista explicou que há tempos o Brasil espera por isso, mas que a responsabilidade não toca só à atual presidente. "Sempre esbarramos na falta de entendimento com os estados. Mas, ao mesmo tempo, pude contribuir com uma ampla reforma no segmento das pequenas e médias empresas com a criação do Simples. Retiramos o perverso mecanismo da substituição tributária de mais de 1 milhão de empresas. Vamos fazer a reforma gradualmente, assim como fizemos com o Simples", garantiu Armando.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.