• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Senado » Humberto Costa chama Marina de "FHC de saias"

Agência Senado

Publicação: 02/09/2014 18:10 Atualização:

A "grande ameaça" do momento para o país, disse nesta terça-feira (2) o senador Humberto Costa (PT-PE), está "travestida sob o manto da chamada nova política", cuja adoção é uma das bandeiras da campanha de Marina Silva à Presidência da República. Ele a chamou de "FHC de saias" e acusou a ex-ministra do Meio Ambiente de adotar alianças eleitorais de conveniência, apesar de dizer que não se junta a raposas políticas.

"Quais seriam, por exemplo, os rumos econômicos e uma política de um governo Marina Silva? Ela vai baixar a cabeça ao mercado financeiro, deixando a política neoliberal disseminar novamente o desemprego, a subida de preços, o aumento de impostos e o arrocho salarial. Será uma FHC de saias", disse Costa.

"Desde que foi cunhada, essa expressão 'nova política' mostrou que de nova nada tinha; era mais do mesmo; era uma alegoria criada para ser vendida como novidade ao mesmo tempo em que se travestia de velhas práticas", disse Humberto Costa.

O senador criticou também o que chamou de falta de coerência da candidata do PSB ao Palácio do Planalto. Ao mesmo tempo em que ela condena os transgênicos e a indústria de armas, o seu candidato a vice-presidente, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), recebeu contribuições eleitorais de empresas privadas desses setores.

segundo o líder do PT, o programa de governo divulgado por Marina na semana passada seria a "síntese das contradições que sua candidatura representa". Ele classificou o programa como um conjunto de promessas que "não se aguentou 24 horas em pé" e foi modificado após pressão de grupos descontentes com o teor do programa.

"Como alguém se propõe a governar o Brasil desse jeito?" questionou o senador.

Humberto Costa ressaltou que as críticas não se tratam de qualquer veto pessoal a Marina, pois, segundo ele, todos conhecem a sua "bela história de vida", a luta em favor da causa ambiental e o seu bom desempenho como parlamentar. "O que questiono aqui é o seu projeto para o Brasil, a 7ª economia do mundo, um país de mais de 200 milhões de habitantes, cheio de grandes complexidades que não podem ser geridas com invenções e truques, como quem tira coelho de cartola", avalia.

Pré-sal

O senador ressaltou ainda que Marina despreza uma das maiores descobertas brasileiras de todos os tempos: o pré-sal. "Foram anos de esforço humano e de investimentos públicos empreendidos pela Petrobras até que descobríssemos esse tesouro que nos tornará, proximamente, num dos maiores exportadores de petróleo do planeta", observou.

"Por disposição da presidenta Dilma, mais de R$ 1,3 trilhão do pré-sal serão investidos na saúde e na educação do nosso país nos próximos 30 anos. Mas a candidata Marina Silva dá as costas a tudo isso. Nas diretrizes de política nacional de energia do seu programa de governo, sequer há citação das palavras 'petróleo' e [UTF-8?]'pré-sal, completou.

O parlamentar concluiu dizendo que os brasileiros já manifestam o entendimento de que não querem mais retroceder e devolver o Brasil a um passado de atraso e miséria, marca do PSDB. Segundo ele, o desafio, agora, é outro. "O desafio é enxergar o perigo por trás desse "novo" que se propõe, desse obscurantismo que envolve essa dita "nova política", que se diz progressista.

Podemos preservar o que conquistamos e seguir as mudanças que iniciamos sem retroceder a um passado sombrio e sem saltar em um precipício, rumo ao desconhecido, finalizou.

Com informações da assessoria

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.