• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições » Paulo Câmara promete manter meta de 12% na redução anual de homicídios Meta foi estabelecida por Eduardo Campos na época da criação do Pacto pela Vida em 2007. No ano passado, não foi batida

Thiago Neuenschwander - Diario de Pernambuco

Publicação: 01/09/2014 17:37 Atualização: 01/09/2014 18:20

Socialista durante encontro com donos de postos de gasolina em restaurante no Clube Português (Wagner Ramos/PSB/Divulgação)
Socialista durante encontro com donos de postos de gasolina em restaurante no Clube Português

O candidato ao governo do estado pela Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), prometeu, na tarde desta segunda-feira (1º), durante entrevista à uma rádio local, manter a meta estabelecida pelo ex-governador Eduardo Campos (PSB) de reduzir em 12% ao ano o número de homicídios em Pernambuco. Apesar de há sete anos o estado registrar queda nas taxas dos chamados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), a meta não foi alcançada em 2013, ficando na casa dos 7,6% em relação a 2012. Segundo o governo, desde que o Pacto pela Vida foi instituído em 2007, a queda no número de assassinatos foi de 39,1%.

O socialista disse que a consolidação do programa de segurança será uma das bandeiras de seu governo, caso seja eleito em outubro. "O Pacto tem dado certo. Pernambuco é o único estado do Brasil que reduz, há sete anos, o número de homicídios. Esse processo de discussão em torno das políticas de segurança vão continuar no nosso governo. Um dos pilares será o combate ao crack. Irei triplicar as ações do Programa Atitude, que trabalha nas ações de prevenção e de acolhimento. Também colocaremos mais policiais nas ruas, investiremos em tecnologia da informação. O Pacto é monitorado toda semana e o governador participa das reuniões uma vez por mês. Os 12% serão mantidos. Não podemos descansar com a segurança nenhum minuto", ponderou.

Durante a entrevista, Paulo falou sobre vários temas, como a implantação do bilhete único, a intenção de fomentar a construção de pelo menos uma escola de tempo integral em cada município do estado, o tímido avanço do governo Eduardo na área de ressocialização e de suas propostas na área de saúde, que incluem a construção de quatro novos hospitais e seis Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs).

Segundo o candidato, um ponto que para ele receberá atenção especial, caso seja o próximo governador do estado é a questão da infraestrutura. "Nosso programa é amplo, envolve a questão das estradas, água, saneamento, mobilidade, habitação... Vamos trabalhar por estradas mais seguras e duplicadas (uma das propostas é a duplicação da BR-232 até Arcoverde). Vamos cobrar também a questão do Arco Metropolitano, que o governo federal disse que iria assumir, mas até agora não saiu do papel", salientou. A obra do Arco Metropolitano, orçada em R$ 1,34 bilhão e com 98 km de extensão, ligará o município de Goiana, na Mata Norte, ao Porto de Suape, em Ipojuca.

SINDCOMBUSTÍVEIS

No fim da manhã, o socialista reuniu-se com representantes do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Pernambuco (Sindcombustíveis-PE) para escutar as demandas do segmento e discutir a viabilidade de implantação das propostas, caso venha a ser eleito no pleito do dia 5 de outubro. O socialista ouviu queixas da relação do setor com o governo, pedidos de flexibilização em alguns pontos e recebeu das mãos do presidente da entidade, Alfredo Pinheiro Ramos, um documento com sugestões na área de segurança, redução de tributos, entre outras. Paulo, por sua vez, não fez garantias, mas prometeu estabelecer parcerias com o segmento. "Temos o compromisso de fortalecer os arranjos produtivos. E com vocês não será diferente", encerrou.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.