• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PSB » Paulo Câmara alçado à figura de líder Socialistas já vêm sinalizando que Paulo Câmara assumirá esse papel dentro do PSB, sobretudo se vencer a eleição de outubro

Rosália Rangel

Publicação: 31/08/2014 16:06 Atualização:

De secretário estadual do governo Eduardo Campos a novo líder do conjunto de partidos liderado pelo PSB em Pernambuco. Este é o papel que aliados de Paulo Câmara, candidato da legenda na disputa estadual, definiram para o socialista antes mesmo dele vencer as eleições de outubro. A tarefa de conduzir o PSB no estado, depois da morte prematura do ex-governador Eduardo Campos, vem sendo reforçada em praticamente todos os eventos de campanha. A palavra “líder” foi incorporada nos discursos em favor de Paulo Câmara, que disputa pela primeira vez um mandato eletivo.

As justificativas são as mais variadas. A  principal delas se prende ao fato de a escolha ter partido do próprio Eduardo, quando ele anunciou Paulo como candidato para sucedê-lo. “Naquele momento, Paulo foi alçado a esta condição  pela capacidade de unir as pessoas”, afirmou Danilo Cabral (PSB), ex-secretário das Cidades. “Paulo sempre se comportou como quem exerce uma liderança natural”, defendeu o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). “Estamos trabalhando para ele ser o líder de todos”, complementou Sileno Guedes, presidente estadual do PSB, afastando as especulações que estariam havendo uma disputa interna pelo poder da sigla no estado.

O cientista político Thales Castro alertou que uma liderança não se constrói da noite para o dia. “É ao longo dos anos. Eduardo Campos, por exemplo, fez isso com  maestria.” Na avaliação dele, há uma superexposição da figura de Câmara, que ele considera ainda “verde” na política, mas justificada pela comoção pós-morte de Campos e das dificuldades enfrentadas pelo PT para administrar a crise econômica no país.

Já para o deputado Waldemar Borges (PSB), o momento não é de “fulanizar” a questão da liderança. “Temos que focar no projeto político de Eduardo. A nossa unidade é que vai garantir essa continuidade.” O ex-secretário da Casa Civil Tadeu Alencar (PSB) ponderou que Eduardo definiu os papéis para cada um dos aliados. “Hoje, as condições sinalizam que Paulo será eleito e irá assumir esse papel.”

Saiba mais


As referências do PSB no estado

Renata Campos
Esposa do ex-governador e presidenciável Eduardo Campos. O nome dela chegou a ser cogitado para disputar a vice na chapa de Marina Silva, mas optou por continuar atuando nos bastidores do partido. A opinião dela, no entanto, foi decisiva na escolha do deputado federal Beto Albuquerque (PSB/RS) para ser o vice na coligação socialista. Renata é considerada a principal referência do PSB.

João Lyra Neto
Governador de Pernambuco. Assumiu o cargo em abril em razão do afastamento de Eduardo Campos para disputar a Presidência da República. Na tragédia que vitimou Campos, no dia 13 de agosto, participou de todo processo do traslado dos restos mortais do ex-governador para Pernambuco e do debate para escolher o vice na chapa encabeçada por Marina Silva (PSB).

Geraldo Julio
Prefeito do Recife. Em 2012, foi aposta de Eduardo para inaugurar a estratégia de colocar uma técnico em uma disputa eleitoral. Com a saída do líder socialista para concorrer a presidente, passou a ser visto com a principal liderança do PSB. Na semana da morte de Campos, Geraldo assumiu o papel de porta-voz da família no contato com a imprensa. Também participou ativamente do processo de escolha do vice de Marina.

Sileno Guedes

Presidente estadual do PSB. Ex-vereador do Recife, o socialista tem perfil de articulador político. Em 2006 e 2010, coordenou as campanhas de Eduardo Campos para o governo do estado. Também esteve à frente da campanha de Geraldo Julio para a Prefeitura do Recife, em 2012. Nas gestões socialistas (estadual e municipal), comandou secretarias estratégicas nas áreas de articulação política e social.

Tadeu Alencar
Vice-presidente estadual do PSB. Ex-procurador do estado, foi convocado por Eduardo para comandar a Secretaria da Casa Civil, uma das principais pastas do governo. O nome dele foi cotado para disputar o Palácio do Campo das Princesas. Um dos auxiliares mais próximos do ex-governador Eduardo Campos, o socialista integrava o núcleo duro do governo.

Danilo Cabral
Deputado federal. Foi eleito por dois mandatos, mas ficou em Pernambuco em razão da convocação de Eduardo para compor a equipe de governo. O nome dele chegou a ser citado nos bastidores para ocupar a vaga de vice na chapa de Marina Silva. No processo de escolha do candidato para disputar governo do estado esteve entre os nomes mais cotados para receber a indicação de Campos.

Fernando Bezerra Coelho
Ex-ministro da Integração Nacional. Candidato da Frente Popular ao Senado, Bezerra Coelho deverá assumir uma função importante dentro do partido, principalmente no interior do estado, onde tem maior peso eleitoral e político. Foi prefeito de Petrolina por três mandatos. Renunciou ao último mandato para assumir, em 2007, a Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.