• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Memória política » Lei da Anistia completa 35 anos. Torturadores continuam impunes

Cláudia Ferreira - Esp. para o Diario de Pernambuco

Publicação: 28/08/2014 12:03 Atualização:

Congresso Nacional aprovou lei em 1979. Foto: Correio Braziliense/D.A. Press/Arquivo
Congresso Nacional aprovou lei em 1979. Foto: Correio Braziliense/D.A. Press/Arquivo
A forte reivindicação popular pela anistia marcou a fase de desmantelamento da ditadura militar brasileira, entre os anos de 1964 e 1985. Essa luta resultou na Lei 6.683, de 1979, a Lei de Anistia, que permitiu a libertação de presos políticos, bem como o retorno de um grande número de exilados. Em contrapartida, a lei se revelou como um instrumento de perdão aos próprios agentes do Estado que praticaram graves violações aos direitos humanos naquele período. Passados exatos 35 anos da promulgação da lei, a III Semana da Anistia se insere na discussão da efetividade da chamada “justiça de transição”.

Promovida pelo Comitê pela Memória, Verdade e Justiça de Pernambuco em parceria com o Centro Cultural Manoel Lisboa, a III Semana da Anistia vem ambientando debates e exibições de fotos e filmes sobre o tema. O objetivo é conscientizar a sociedade sobre os reflexos da interpretação dada à lei na época em que foi estabelecida. “Mesmo depois de 50 anos do golpe militar e de 35 anos da Lei de Anistia, os torturadores e assassinos do regime autoritário não foram punidos por seus crimes”, afirma Alexandre Ferreira, membro do comitê pernambucano.

O evento teve início na última terça-feira e chega hoje, aniversário da Lei da Anistia, ao seu último dia com saldo positivo. “Muitos jovens participaram, pudemos discutir a anistia e relembrar a luta pela redemocratização, na qual muitos morreram”, destaca Ferreira. O evento será encerrado com um ato simbólico na Praça Padre Henrique, na Rua da Aurora, Centro do Recife, onde está localizado o Monumento Tortura Nunca Mais, construído em homenagem às vítimas da repressão. Será realizada uma esquete teatral no local.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Antonio Silva
Vocês quando falam em "punir" só pensam nos militares..... Instituição forte e ainda pouquíssimo corrompida desse País de bananas! E quanto aos guerrilheiros aramados que matarm e sequestraram? Nada??!! A Dona Dilma participou também.... E aí?? Sem punição e uma presidência de brinde!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.