• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Disputa presidencial » Eymael defende isenção do IR para quem recebe até dez salários mínimos

Agência Brasil

Publicação: 27/08/2014 15:05 Atualização:

O candidato à Presidência José Maria Eymael (PSDC) defendeu a isenção de Imposto de Renda para trabalhadores que recebem até dez salários mínimos por mês, o equivalente a R$ 7.240. Eymael falou sobre essa e outras propostas de campanha durante reunião hoje (27) com o Sindicato dos Empregados em Edifícios de São Paulo (Sindifícios-SP).

“Tem que haver um processo de até dez salários mínimos sem pagamento de Imposto de Renda. Só depois disso, a tabela progressiva [deveria ser aplicada], porque até dez salários mínimos você está falando de sobrevivência. A renda vem depois”, destacou o candidato. “Temos um sistema tributário no Brasil confiscatório, o imposto se abate de uma forma extremamente violenta”, criticou.

Eymael disse ainda que é favorável à extinção de limite para dedução de despesas com educação. “As famílias, às vezes, têm que colocar os filhos na escola particular porque não tem escola pública. E o que a família ainda tem que fazer é financiar o Estado, não pode deduzir no Imposto de Renda o que ela paga para a escola. Um absurdo. Tem que acabar com o limite de dedução de educação. Gastou R$ 20 mil, vai deduzir R$ 20 mil”, defendeu.

O presidente do Sindifícios-SP, Paulo Roberto Ferrari, explicou que a categoria engloba zeladores, porteiros, manobristas, garagistas, faxineiros, serventes e outros funcionários presentes em condomínios. A principal reivindicação do grupo é a regulamentação da profissão. “Para a gente ter um pouco mais de poder de negociação, de luta, a gente precisa que ela seja uma profissão regulamentada. Essa é uma luta que temos há 20 anos no Congresso Nacional.”

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.