• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições 2014 » Candidato a deputado é detido com maconha em Brasília O homem estava dentro do próprio carro quando foi abordado por PM, no Núcleo Bandeirante

Correio Braziliense

Publicação: 21/08/2014 11:20 Atualização:

Material apreendido com o candidato: drogas e dinheiro em espécie. Fotos: Divulgação
Material apreendido com o candidato: drogas e dinheiro em espécie. Fotos: Divulgação
Um candidato a deputado distrital do Partido Socialismo e Liberdade (Psol) foi preso por volta das 17h dessa quarta-feira (20/08) por porte e o uso de maconha. Marcelo Valente Nunes, de 49 anos, estava no interior do próprio veículo em via pública no Núcleo Bandeirante quando foi abordado por policiais militares. Com ele, foram encontrados drogas e dinheiro em espécie. Dentro do veículo também estava um panfleto com o número de campanha do candidato. As substâncias ilícitas foram encaminhadas para a perícia da Polícia Civil.

O candidato, que também é bancário, foi conduzido para a 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas). Embora estivesse no Núcleo Bandeirante, Marcelo foi preso em flagrante e, por isso, encaminhado para a unidade policial do Recanto das Emas, responsável pela investigação.

Segundo o relato da ocorrência, o suspeito apresentava sinais de ter consumido os entorpecentes. Ele assinou um termo de compromisso de comparecimento ao juizado especial e foi liberado sem a necessidade de pagar fiança.

Carro onde foi encontrada a droga: suspeito apresentava sinais de ter consumido os entorpecentes
Carro onde foi encontrada a droga: suspeito apresentava sinais de ter consumido os entorpecentes
O artigo 28 da Lei 11.343/2006 do Código Penal Brasileiro prevê que adquirir, guardar, transportar ou trouxer consigo, para consumo pessoal, drogas sem autorização ou desacordo com determinação legal é crime.

A presidente do Psol, Juliana Selbach, disse que não tinha conhecimento do caso. Ela ressaltou que o candidato a distrital é um servidor de um banco público e trabalhador. “Vamos analisar o que de fato aconteceu e tomar providências de acordo com o caso. Não há como falar nada agora, porque não tenho nenhuma informação. Vamos apurar o caso e tomar as providências. Ele é um trabalhador normal como qualquer outra pessoa”, ressalta.

O candidato ao governo pelo partido, Toninho do Psol, se mostrou surpreso com a situação e disse que nesta quinta-feira deverá se inteirar a fundo sobre o assunto. “Ele é servidor do setor de tecnologia e eu nunca poderia imaginar que estivesse qualquer envolvimento com substâncias ilícitas. Essa é uma surpresa muito grande, porque Marcelo é um rapaz tranquilo, militante e que sempre está a linha de frente do partido”, afirma. A reportagem ainda não obteve contato com o candidato.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.