• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Investigação » Cenipa alerta para análises que podem provocar resultados equivocados do acidente que matou Eduardo

Diario de Pernambuco

Publicação: 20/08/2014 15:59 Atualização:

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) divulgou uma nota sobre as investigações do acidente áereo que matou o ex-governador Eduardo Campos e mais seis pessoas no último dia 13, em Santos (SP). De acordo com o Cenipa, já foram feitas a leitura do gravador de voz do avião, a análise inicial dos motores e a ouvida de testemunhas do acidente. O centro também alerta que a análise de fatores isolados pode causar conclusões precipitadas ou equivocadas.

Confira a nota na íntegra:

"O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) já realizou a leitura do gravador de voz da aeronave PR-AFA, análise inicial dos motores e coleta de informações e documentos junto às empresas que fizeram a manutenção do avião. Familiares e testemunhas do acidente estão sendo entrevistados.

O Cenipa não trabalha com "causa" de acidente, mas com fatores contribuintes. "Causa" se refere a um fator que se sobressai, que seja preponderante, e a investigação do CENIPA não elege um fator como o principal. Desta forma, qualquer análise de fatores isolados pode ocasionar conclusões precipitadas ou equivocadas.

O resultado da investigação compõe o Relatório Final, que é elaborado com base em informações factuais e nas análises de todos os fatores que contribuíram para o acidente de maneira integrada.

O Relatório Final busca reproduzir a dinâmica da ocorrência aeronáutica e emite as recomendações de segurança de voo para evitar que acidentes semelhantes se repitam. Não há prazo determinado para sua conclusão."

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.