• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cobrança » Prefeito de Camaragibe reclama de falta de diálogo com governador João Lyra

João Vitor Pascoal - Diario de Pernambuco

Publicação: 19/08/2014 13:20 Atualização:

O prefeito de Camaragibe Jorge Alexandre (PSDB) e o ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho Lula Cabral (PSB) apresentaram queixas sobre o andamento político dos municípios e do estado. Eles foram os entrevistados desta terça-feira (19), do programa Em Foco da Rádio Globo 720 AM, apresentado pelo jornalista Aldo Vilela.

O alvo de Jorge Alexandre, foi o governador João Lyra Neto (PSB). De acordo com o prefeito tucano, Lyra não mantém com Camaragibe o mesmo diálogo que era mantido durante a gestão de Eduardo Campos. O prefeito afirmou que desde abril, mês em que Lyra assumiu o governo, ainda não houve nenhuma reunião entre o estado e o município. Jorge afirma que o governo estadual "está devendo" o recapeamento de 34 ruas de Camaragibe desde a época das obras da Arena Pernambuco.

Esse compromisso foi assumido pelo então secretário das cidades Danilo Cabral (PSB). Para participar das eleições, Danilo deu lugar ao tucano Evandro Avelar. O fato de Avelar e Jorge Alexandre pertecerem ao mesmo partido deveria ajudar no diálogo, mas aconteceu o contrário. Jorge afirma que após a morte de Sérgio Guerra, o PSDB ficou rachado. Ele ficou ao lado do atual presidente Bruno Araújo, enquanto Avelar está do lado de Betinho Gomes. Sem o empenho do secretário das cidades, o projeto de recapeamento das ruas ficou paralisado. "Está faltando um espaço na agenda do governador para Camaragibe. Eu peço encarecidamente que o governador entenda isso", reclamou o prefeito.

No caso do Cabo de Santo Agostinho, as críticas de Lula Cabral são diferentes. Ele afirma que o atual prefeito Vado da Farmácia (PTB) não deu continuidade ao "trabalho audacioso" que era realizado por ele no município, e se desviou para a "velha política". Vado, então candidato do PSB, foi eleito recebendo o apoio de Eduardo Campos e do próprio Lula Cabral.

Porém, de acordo com Lula, 60 dias após eleito, ele rompeu com todos os aliados e decidiu seguir a gestão com outro grupo. "Ele tirou os técnicos preparados, pessoas competentes, e colocou amigos no lugar. Aí vai pra velha política", afirmou. Lula afirmou que, durante o seu governo, foi criado um plano diretor que definiu as prioridades do município. Segundo ele, Vado se desviou desse projeto. "Não se pode administrar uma cidade com aquelas politicas antigas, políticas do 'toma lá dá cá'. Esse tipo de gestão não tem mais espaço no Brasil. Tem que ouvir a população, fazer um plano diretor e ir até Brasilia com bons projetos", defendeu.

Emancipação de Ponte dos Carvalhos

Lula Cabral opinou sobre o projeto de lei de emancipação de municípios que entre outros, contempla a emancipação dos distritos de Pontezinha e Ponte dos Carvalhos do município do Cabo de Santo Agostinho. Lula ressalta que algumas cidades não tem condições de se emancipar, o que não é o caso dos distritos cabenses. "Ponte dos Carvalhos merece uma sede, tem recursos, tem banco, tem o Hospital Dom Hélder Câmara, tem toda uma estrutura, seria a 15° ou 16° maior cidade do estado com 70 mil habitantes", ressaltou. Ele destacou que a emancipação é um anseio de mais de 25 anos da população dos distritos."Não podemo ir de encontro ao que o povo quer", afirmou.

Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.