• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Guia eleitoral » Lula diz que mantinha uma relação de afeto como de pai e filho com Eduardo Campos

Filipe Barros - Diario de Pernambuco

Publicação: 19/08/2014 11:00 Atualização: 19/08/2014 12:27

Lula afirmou que o Brasil inteiro estava traumatizado com a perda de Eduardo e que ele
Lula afirmou que o Brasil inteiro estava traumatizado com a perda de Eduardo e que ele "foi um grande companheiro". Foto: Ricardo Fernandes/Esp.DP/D.A Press

A estreia da propaganda eleitoral no rádio, que aconteceu na manhã desta terça-feira (19), foi marcada por homenagens ao ex-governador Eduardo Campos, falecido após um acidente aéreo em Santos, São Paulo. No guia da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou sobre Eduardo e afirmou que "nós dois tínhamos um afeto de pai e filho" e que suas últimas palavras devem ser adquiridas pelo povo brasileiro, "não podemos desistir do Brasil", fazendo uma referência à frase dita pelo socialista em entrevista no último dia 12, um dia antes de falecer. Ele ainda afirmou que o Brasil inteiro estava traumatizado com a perda de Eduardo e que ele "foi um grande companheiro".

O programa do PSB começou classificando Eduardo Campos como exemplo de liderança a ser seguido pelos brasileiros e foi todo dedicado ao ex-governador pernambucano, com destaque para gravações feitas sobre o atual momento político que trazia frases do ex-postulante ditas durante a campanha. A mais enfatizada foi a que marcou sua última entrevista, Não vamos desistir do Brasil.

Entre os presidenciáveis, a presidente Dilma não falou sobre a tragédia com o socialista e abriu o programa reafirmando o desejo de realizar uma campanha limpa, de alto nível e que quer transformar o Brasil no país das oportunidades. Ela encerrou prometendo investir intensamente na educação."Vamos fazer do pré-sal o nosso futuro. 75% dos royalties vão ser investidos em educação", afirmou a presidente. Antes de homenagear Eduardo, Lula fez um pedido aos brasileiros."Quero pedir aos brasileiros que analise bem o seu presente, o seu passado e veja se sua vida melhorou. Tenho certeza que 99% vão dizer que melhorou", finalizou o principal cabo eleitoral de Dilma e a estrela desse primeiro guia eleitoral.

Aécio Neves, candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, abriu seu programa homenageando Eduardo Campos e afirmando que o sentimento é de enorme tristeza. "Essa campanha se inicia marcada com o sentimento de enorme tristeza, após a tragédia que levou a vida do Eduardo e de seis dos seus companheiros. Tudo fica pequeno demais quando nos confrontamos com algo tão inesperado. Mesmo sendo diferentes, tínhamos idéias em comum de como mudar o Brasil e fazer um país melhor para os brasileiros. A melhor forma de homenagear Eduardo é dando seguimento nessa luta. Colocar em prática as idéias e os ideais que tínhamos em comum será a melhor forma de celebrar a vida do grande governador, do pai, do marido, do amigo, do brasileiro Eduardo Campos”, considerou o tucano.

Aécio também foi entrevistado pelo personagem "Mineirinho", um possível morador do seu reduto eleitoral, Minas Gerais. Ele também usou locutores com sotaque do Nordeste, onde Dilma lidera nas intenções de voto. "Quando o governo vira problema, tudo vira problema. As pessoas perderam a confiança na capacidade do governo de mudar. Hoje o Brasil está pior do que a quatro anos atrás. O problema do país não é o país, e sim, a forma como vem sendo governado", encerrou o senador cutucando o Partido dos Trabalhadores."Acredito num projeto de país e não, num projeto de poder".

O presidenciável do PV, Eduardo Jorge, dedicou todo o tempo do guia para realizar uma homenagem ao socialista. “O PV faz política com alegria, mas sempre com a seriedade dos desafios do país. A mesma seriedade e compromisso que sempre identificamos em Eduardo Campos”, destacou o guia. “Nesse momento de profunda consternação nacional, o PV rende a sua homenagem a Eduardo Campos e se solidariza com a sua família. O PV também presta solidariedade aos familiares das outras vítimas desse trágico acidente e aos integrantes do PSB”, finalizou.

Com apenas 45 segundos de programa, o PSDC, de Eymael, fez uma rápida referência dizendo que Eduardo Campos "representava o equilíbrio e audácia de uma líder a ser seguido”.

DISPUTA PROPORCIONAL
Alguns dos candidatos a deputado federal como Raul Jungmann (PPS), Augusto Coutinho (Solidariedade), Tadeu Alencar (PSB) e Danilo Cabral (PSB), esse dois últimos mais próximos a Eduardo Campos, além dos deputados federais Eduardo da Fonte (PP) e Luciana Santos (PCdoB) também fizeram referências ao ex-governador. Luciana não falou, mas usou uma gravação em que enaltecia o trabalho de um "grande político, um grande pai e um grande marido".

"Nós do PPS, que fomos os primeiros a apoiar o governador (como candidato a presidente), nos solidarizamos com toda a família", afirmou Raul Jungmann, até pouco tempo adversário do ex-governador. "O Brasil perdeu um exemplo de coragem e de um gestor inovador", acrescentou Augusto Coutinho. Já o ex-secretário da Casa Civil do governo Eduardo, Tadeu Alencar, usou seu guia para dizer que aprendeu muito com o ex-governador e que "vamos fazer da tristeza uma profunda força para mudar o Brasil".

Outro correligionário e ex-secretário de Educação e das Cidades, Danilo Cabral, afirmou que vai continuar o trabalho de Eduardo."Um dia o sonho de um homem de ser presidente do Brasil foi interrompido. Como testemunha de sua capacidade de administrar, vamos continuar seu trabalho. Por isso quero ser deputado". O deputado federal Eduardo da Fonte exibiu uma gravação onde pedia votos em um comício para "o melhor governador de Pernambuco" e em que Eduardo exaltava as evangelizações feitas às crianças dependentes do crack.

Em outro ponto do proporcional petista, o ex-prefeito do Recife João da Costa (PT) que foi impedido de concorrer à reeleição na Prefeitura do Recife, afirmou que agora vai fazer justiça caso seja eleito deputado federal."Fui impedido de concorrer a reeleição e quero ser deputado federal para continuar o trabalho interrompido".

A chapa proporcional para deputado federal da coligação "Juntos Pelo Imposto Único", que apoia Paulo Câmara ao governo estadual e possui um minuto e 31 segundos na propaganda eleitoral, retirou o material de campanha do guia em respeito a Eduardo Campos e gravou a frase "aquele que Deus estima, será chamado mais cedo. Aquele que luta pelos ideais do povo, não será esquecido pelos homens".

Já no programa, o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e o Partido Comunista Brasileiro (PCB) não enviaram material de campanha.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.