• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Montagem de palanques » Eduardo justifica alianças com PT e PSDB

João Valadares - Correio Braziliense

Publicação: 03/07/2014 07:00 Atualização: 03/07/2014 12:21

Após o PSB firmar aliança com o PT no Rio de Janeiro e com o PSDB em São Paulo, o candidato à Presidência da República Eduardo Campos (PSB) declarou, na manhã desta quarta-feira (2), em Salvador (BA), que o partido dele não costurou apoio nos estados em troca de cargos e aproveitou a ocasião para alfinetar a gestão política da presidente Dilma Rousseff. “Onde não temos candidatura própria, apoiamos pessoas que se comprometeram com o programa do PSB. Não fizemos nenhum apoio em troca de cargos, mas em torno de um programa”, afirmou.

Campos voltou a falar de quebra de polarização entre o PT e PSDB e disse que é possível “governar com os melhores”. Novamente, apresentou-se como o representante de “um novo ciclo para o Brasil”. Declarou também que é preciso governar “sem entregar pedaços do governo”. Quando chefiou o Executivo de Pernambuco, Campos tinha uma base formada por 14 partidos e alojou na administração grande parte dos aliados que o levou à vitória nas eleições de 2006 e 2010.

O candidato deixou evidente as bandeiras que deve empunhar durante a campanha eleitoral, que começa oficialmente no domingo. As três propostas são educação em tempo integral, redução da carga tributária com uma ampla reforma e combate à criminalidade.

Em Salvador, ao lado da candidata do PSB ao governo baiano, senadora Lídice da Mata, e da candidata ao Senado pela legenda, a ex-corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Eliana Calmon, Campos participou do cortejo cívico da Independência da Bahia. O evento relembra a vitória de soldados brasileiros diante do exército português em 2 de julho de 1823.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.