• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Salários » Oposição e governo em Carpina na queda de braço Secretário de administração explica que, até abril, a folha salarial ainda estava consumindo 58% da receita, o que é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicação: 01/07/2014 11:37 Atualização: 01/07/2014 12:15

Foto:Juliana Leitao/DP/D. A. Press/Arquivo (Foto: Juliana Leitao/DP/D. A. Press)
Foto:Juliana Leitao/DP/D. A. Press/Arquivo

Os moradores de Carpina não têm muito a reclamar do São João, que atraiu bandas e cantores famosos como Aviões do Forró e Michel Teló. Mas, nem todos os servidores andam satisfeitos. Segundo informações enviadas ao Whatsapp do Diario, a prefeitura municipal, administrada por Carlos Vicente (PSB), vem atrasando salários com frequência, mesmo depois de reduzir percentuais em até 15% e demitir contratados em 2013, primeiro ano de sua gestão. O governo municipal, entretanto, contesta e rebate as denúncias.

“Reduziram 15% do salário dos funcionários dizendo que seria temporário, só até dezembro de 2013, mas já estamos na metade do ano de 2014 e nada foi regulamentado… Mas, o São João foi garantido. É a tal da política de pão e circo.”, informou uma leitora, pedindo anonimato.

Segundo o secretário de Administração do município, Roberval Araújo, a folha de pessoal estava ultrapassando os 54% determinados pela Lei de Responsabilidade Fiscal e o município precisava reduzir gastos. Ele explicou ainda que o salário não está atrasado, porque toda prefeitura tem o direito de pagar até o dia 5º dia útil do mês.  “Não temos pendência nenhuma com o 13º salário e o São João não comprometeu o pagamento dos funcionários”, acrescentou o titular de administração.

Roberval Araújo lembrou que o corte de pessoal contratado é de praxe de todo gestor que assume uma prefeitura. “No tocante às gratificações irregulares, reduzimos mesmo. Não mexemos nos salários, mexemos nas gratificações irregulares. Tinha servidor ganhando até 150% em cima do salário de gratificação”, protestou. 

De acordo com os últimos números divulgados pelo Índice Firjan em 2011, na gestão anterior, a Prefeitura de Carpina ocupava o 56º lugar entre os municípios do estado no gasto com folha de pessoal. A pontuação do índice varia de 0 a 1, sendo que, quanto mais próximo de zero, pior é a situação. O governo, naquela época, recebeu nota 0,3975.

O Índice Firjan é uma ferramenta de controle social que tem como objetivo estimular a cultura da responsabilidade administrativa. Ele cobra maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação dos recursos.

A reportagem checou que a Prefeitura de Carpina também tem, atualmente, uma das prefeituras mais enxutas de Pernambuco, com apenas seis secretarias. A página oficial do governo, ao contrário de outros municípios do estado, tem portal da transparência. Em 2011, por outro lado, as contas da prefeitura foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Em 2012, foram aprovadas com ressalvas. 

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.