• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pré-campanha » Armando Monteiro e Paulo Câmara marcam presença no Congresso da UVP Os pré-candidatos ao Governo de Pernambuco aproveitaram a ocasião para ressaltar a importância dos vereadores na gestão pública e alfinetar o oponente

Cláudia Ferreira - Esp. para o Diario de Pernambuco

Publicação: 27/06/2014 22:40 Atualização: 30/06/2014 20:54

 

Armando Monteiro (centro) discursa ao lado de seu aliado João Paulo (à direita). Foto: Léo Caldas/Divulgação. (Armando Monteiro (centro) participou do evento ao lado de seu aliado João Paulo (à direita). Foto: Léo Caldas/Divulgação.)
Armando Monteiro (centro) discursa ao lado de seu aliado João Paulo (à direita). Foto: Léo Caldas/Divulgação.
O senador Armando Monteiro Neto (PTB) e Paulo Câmara (PSB), que disputam esse ano o cargo de governador de Pernambuco, prestigiaram nesta sexta-feira (27) o Congresso Estadual da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), evento sediado em Caruaru, município do Agreste do estado. Apesar de serem oponentes no pleito de outubro de 2014, os pré-candidatos combinaram num certo ponto de seus discursos, quando enalteceram a figura do parlamentar municipal. Na opinião de ambos, o vereador desempenha uma função essencial no sistema político, justamente por teoricamente apresentar maior proximidade com população.

Acompanhado pelo deputado federal João Paulo (PT), que busca uma vaga no Senado, Armando Monteiro ressaltou que o vereador pode ser considerado "o mais legítimo instrumento da representação política", conclusão seguida por João Paulo. "Quando há qualquer problema, é na porta do vereador que as pessoas batem. Então, como prefeito, sabia das dificuldades dos vereadores", afirmou o deputado, promentendo servir de "ponte" entre o governo federal e o estadual junto aos municípios, caso seja eleito senador.

Paulo Câmara (à direita) discursa na presença de vereadores de vários municípios pernambucanos. Foto: Wagner Ramos/divulgação.  (Paulo Câmara (à direita) discursa na presença de vereadores de vários municípios pernambucanos. Foto: Wagner Ramos/divulgação. )
Paulo Câmara (à direita) discursa na presença de vereadores de vários municípios pernambucanos. Foto: Wagner Ramos/divulgação.
Pré-candidato da chapa adversária, o socialista Paulo Câmara reforçou o fato dos vereadores estarem mais próximos do eleitor e da realidade local e aproveitou para destacar a política de parceria com os municípios que a gestão de Eduardo Campos (PSB) teria empreendido em Pernambuco e propôs a transformação do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento  dos Municípios (FEM) numa política permanente. "O FEM é um dos resultados dessa parceria que Eduardo estabeleceu e que nós vamos continuar. Ele permite um repasse dos recursos desburocratizado, porém com controle, para que o prefeito os aplique naquela necessidade imediata. Isso trouxe mais reformas de hospitais, de creches, minissistemas de abastecimento de água, calçamento de ruas e outros benefícios", avaliou Câmara, acompanhado dos pré-candidatos a vice, Raul Henry (PMDB), e ao Senado, Fernando Bezerra Coelho (PSB).

Divergências

No evento, se por um lado Câmara elogiava, por motivos óbvios, a gestão estadual vigente, por outro criticou severamente o Governo Federal, acusando-o de promover uma política de concentração dos recursos públicos nos cofres da União. "Em 1990, 80% do que era arrecadado no Brasil ia para estados e municípios. Hoje, esse percentual é de apenas 44%. Essa concentração dos recursos era utilizada pelos regimes ditatoriais para minar as forças das unidades da federação. Em uma democracia, isto é inadmissível", esclareceu o socialista, revelando que a revisão do Pacto Federativo está entre as propostas de Eduardo Campos em sua campanha pela Presidência da República.

Já Armando Monteiro, que tem a presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula (ambos do PT) como aliados, tratou de tecer críticas à política educacional do governo atual de Pernambuco. "Não podemos ostentar índices que nos constrangem, como o 22º lugar no Ideb. Pernambuco precisa de uma revolução na educação", asseverou o oposicionista.

Com informações das assessorias de Paulo Câmara e Armando Monteiro Neto.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.