• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Fora da rotina » O que os candidatos ao governo e ao Senado por Pernambuco fazem nas horas vagas

Tércio Amaral

Publicação: 23/06/2014 11:17 Atualização: 23/06/2014 11:20

Arte: Jarbas/DP/D.A. Press
Arte: Jarbas/DP/D.A. Press
Muito além dos palanques, dos projetos de lei e das relações com adversários, os candidatos ao governo e ao Senado por Pernambuco mantêm uma rotina pessoal desconhecida para muitos eleitores. São hobbies (ou paixões, numa tradução livre do inglês) que os acompanham desde a infância, aprendidos em casa e cultivados na esfera familiar. Alguns se definem como cinéfilos e amantes do futebol, outros, como cantores e até arriscam um passinho mais "ousado" ao som de uma boa música brasileira. "É impossível falar do Brasil e não lembrar de sua musicalidade", revela o senador e candidato ao governo Armando Monteiro Neto (PTB), que coleciona em sua playlist cantores como Tom Jobim, Dominguinhos e Luiz Gonzaga.

O trabalhista, que revelou o hábito de cantar, foi ouvido pela reportagem do Diario, que entrevistou também o candidato ao governo e ex-secretário Paulo Câmara (PSB) e os postulantes ao Senado, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, também do PSB, e o deputado federal João Paulo (PT). "Ler é um hábito estimulado por meus pais na minha infância. Também tive grandes mestres na escola, que me apresentaram aos clássicos da literatura. O gosto pela música vem da juventude, de festas", completou Armando.

Na mesma coligação, o deputado João Paulo, candidato ao Senado, mostrou-se bastante espontâneo quando o assunto são suas paixões. Em entrevista, o petista sorriu, emocionou-se e lembrou de histórias hoje cômicas de seus hábitos. Uma vez, João Paulo meditou em pleno voo. Detalhe: foi a última viagem da aeronave. "Em 1997, estávamos num intercâmbio em Cuba, e Zé Neves, que era vereador do Recife, conseguiu um pacote por US$ 200, com tudo pago, de Santiago para Havana. Nós suspeitamos do valor e, quando vimos, pegamos um avião muito debilitado."

A viagem foi acompanhada por outros parlamentares, como Luciana Santos (PCdoB) e Pedro Eugênio (PT)."Quando eu comecei a meditar, sem o ar-condicionado funcionando, no maior calor, Pedro mandou jogar os cobertores em mim, dizendo que eu estava com frio. Todos caíram na gargalhada", recorda."Mas tempos depois ele reconheceu que a meditação pode ter nos salvado. Um jornalista (João de Freitas Neto), que veio nos cumprimentar antes de embarcar, pegou o mesmo avião depois e morreu após a aeronave cair no mar", completa.

O ex-ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB), candidato ao Senado, não pratica meditação, mas possui um hobby muito parecido com a maioria da população brasileira. Bezerra é apaixonado por futebol. Fala de jogadores e partidas históricas de futebol como um especialista."Dirigi em Petrolina um clube, que existe como amador, chamado Caiano", comentou Bezerra, que também chegou a ser presidente do Santa Cruz (2008-2010). "Mas também gosto de ler, de assistir a filmes e fazer uns passeios de barco com minha família nas ilhas fluviais em Petrolina", completa o socialista.

Já Paulo Câmara (PSB), seu aliado e candidato ao governo, se mostra um leitor inveterado. "Por conta da rotina de trabalho, meu hábito favorito é ficar com minha família nos fins de semana. Idas ao cinema diminuíram por conta do nascimento dos filhos, mas sempre assistimos filmes em casa", contou. Entre os autores favoritos de Câmara está Fernando Moraes e seu Chatô, biografia do jornalista Assis Chateaubriand, fundador dos Diários Associados.

Paulo Câmara

(PSB)
É leitor assíduo de livros e um cinéfilo

Armando Monteiro
(PTB)
Gosta de escutar música brasileira e cantar

João Paulo
(PT)
Temc omo hábito ameditação

Fernando Bezerra Coelho
(PSB)
É fanático por futebol, inclusive foi presidente do Santa Cruz

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.