• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições 2014 » Douglas Cintra: de Caruaru para o Senado O empresário caruaruense, suplente de Armando Monteiro Neto, assumirá o mandato em julho, com a licença do senador para se dedicar à campanha

Júlia Schiaffarino

Publicação: 23/06/2014 09:32 Atualização:

Douglas Cintra, inicialmente, cumprirá mandato de cinco meses. Foto: Helder Tavares/DP/D.A. Press/Arquivo
Douglas Cintra, inicialmente, cumprirá mandato de cinco meses. Foto: Helder Tavares/DP/D.A. Press/Arquivo
Com o afastamento do senador Armando Monteiro Neto (PTB) do Congresso para disputar o governo de Pernambuco, surge um novo ator político. O empresário caruaruense Douglas Cintra (PTB), suplente do petebista, está prestes a assumir o primeiro mandato político. Inicialmente serão cinco meses, tempo que dura a campanha, mas que poderá se estender por mais quatro anos, caso Armando Monteiro seja eleito para o Palácio do Campo das Princesas. O senador deve se licenciar no dia 15 de julho.

Cintra tem atuado na coordenação da campanha de Armando. Ele responde pela região Agreste do estado e não esconde que tem redobrado os trabalhos em prol da eleição do correligionário. "A expectativa é ele ganhar e eu ter mais quatro anos.
Tenho falado isso para quem é de Caruaru e da região, que se eles votarem em Armando também estarão elegendo mais um senador que vai olhar para o interior", comentou o empresário. Ele diz que tentará conciliar as duas agendas. Quer garantir o bom desempenho de Armando Monteiro nesta parte do estado.

Genérico nas respostas, preferiu não adiantar se há algum ponto específico sobre como pretende atuar assim que assumir o mandato. Também não citou algum direcionamento específico por parte do senador Armando Monteiro. "Qualquer palamentar não pode deixar de lado saúde, segurança e educação. Conversamos todos os dias com o senador e temos observado o que ele tem feito", afirmou, ao ser questionados em relação aos primeiros meses após assumir.

A escolha de Cintra para a primeira suplência do Senado surgiu em 2010 por indicação do prefeito José Queiroz (PDT). Na época foi considerada uma jogada para tirá-lo da disputa para a Assembleia Legislativa, pois a cidade já estava com outros dois nomes na corrida eleitoral, Laura Gomes e Raquel Lyra, ambas do PSB. Ele é empresário do ramo de supermercados e atacados, sendo dono das redes Multi Distribuição e Bonanza, com atuação em Pernambuco e na Paraíba. Nas eleições de 2010, declarou patrimônio de R$ 4.191.367,84 à Justiça Eleitoral. O segundo suplente da chapa é o ex-presidente da Fetape José Rodrigues (PSB), que era muito próximo do ex-governador Miguel Arraes.

Saiba mais

Um senador

Atribuições:
Legislar; autorizar operações financeiras externas e condições de crédito da União, estados e municípios; aprovar a escolha de presidentes e diretores de empresas públicas, membros do poder judiciário e diplomatas.

Tempo de mandato:
Oito anos. Cada estado tem três parlamentares.

Salário:
R$ 26,7 mil

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.