• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Convenção » PSB confirma apoio a Alckmin e garante vaga de vice

Agência Estado

Publicação: 20/06/2014 08:30 Atualização: 20/06/2014 08:41

O governador não vai comparecer ao ato, mas enviará um representante para chancelar o acordo. Foto: Edson Lopes/Jr/GESP (Edson Lopes/Jr/GESP)
O governador não vai comparecer ao ato, mas enviará um representante para chancelar o acordo. Foto: Edson Lopes/Jr/GESP

O PSB paulista confirma, nesta sexta-feira, 20, durante a convenção do partido, o apoio à reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB) com a garantia de que ocupará a vaga de vice na chapa do tucano. Na quinta-feira, 19, o presidente estadual do PSB, deputado Márcio França, se encontrou com Alckmin para bater o martelo sobre o assunto.

O governador não vai comparecer ao ato, mas enviará um representante para chancelar o acordo. Essa decisão afasta o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) da coligação com o PSDB, já que ele também pleiteava a vaga de vice. No PSB, o nome mais provável para assumir o posto é o de França, que foi secretário de Turismo de Alckmin.

O ato de hoje não vai contar com a presença do pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, e de sua vice, Marina Silva, que defendiam que a sigla lançasse candidato próprio no maior colégio eleitoral do País. A assessoria do presidenciável creditou a ausência no ato a uma incompatibilidade de agenda. Enquanto integrantes do PSB estarão reunidos na Assembleia Legislativa durante a manhã, Campos participará da gravação do programa da Luciana Gimenez, da Rede TV. Marina, por sua vez, preferiu ir à outra convenção da sigla, no Amazonas, para oficializar a candidatura do deputado Marcelo Ramos ao governo do Estado.

Miro

A dez dias para o prazo final das convenções partidárias, Campos e Marina enfrentam um novo problema na montagem de seus palanques estaduais. Na quinta-feira, 19, o deputado Miro Teixeira (PROS-RJ) desistiu de disputar o governo do Rio. Em carta, disse que não há "ambiente" para uma coligação entre PROS e PSB. Um dia antes, Campos havia reiterado, em visita à favela da Mangueira, que as duas siglas estariam juntas no Rio.

Segundo o deputado, a ausência de líderes do PSB na comunidade tornou evidente a resistência da sigla à aliança. Na avaliação do PSB fluminense, a candidatura de Miro não havia decolado, Por isso, nas últimas semanas, começaram a conversar com outros candidatos ao governo.

Hoje, membros da Executiva devem se encontrar com o pré-candidato do PT, Lindbergh Farias. O petista vai sinalizar que a sigla está disposta a dar a vaga no Senado para Romário (PSB-RJ). A aliança com Lindbergh tem aval do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No PSB, é vista como uma boa ideia pelas lideranças da sigla, mas encontrará resistência na base.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.