• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Brasília » PSDB e partidos nanicos definem neste sábado candidatos para eleição presidencial Além do PSDB, partidos nanicos promovem eventos em Brasília para homologar candidatura própria ao Palácio do Planalto. Dois estreantes nas urnas vão entrar na disputa em outubro

Flávia Ayer -

Publicação: 14/06/2014 09:35 Atualização:

O sábado será de definições para diversos partidos, que fazem suas convenções para homologar chapas. Dois candidatos nanicos, estreantes na corrida presidencial, entram oficialmente hoje na disputa pelo Palácio do Planalto e prometem mudar o rumo das eleições. O PV se reúne em Brasília para confirmar a candidatura do ex-deputado federal Eduardo Jorge a presidente da República.

Também em encontro na capital federal, o PSC lança o nome do pastor Everaldo Dias Pereira ao cargo. Apesar de defenderem candidatura própria, em Minas Gerais a aliança estadual pode ser um obstáculo aos dois partidos. Ambos apoiam o ex-ministro Pimenta da Veiga (PSDB) ao governo do estado, aliado do senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB), que também terá sua candidatura homologada neste sábado.

Na vida política desde 1981, é a primeira vez que o pastor Everaldo, vice-presidente nacional do PSC, concorre a eleições. Na estreia, o novato já garantiu lugar de destaque nas pesquisas de intenção de votos, alcançando a preferência de 2% a 4% do eleitorado. “Não me considero um candidato nanico. Somos um partido médio, com 17 deputados federais e um senador. De norte a sul, brasileiros veem a nossa candidatura como a verdadeira mudança. Serei um servidor disposto a inverter a lógica de um estado inchado e aparelhado”, afirma o pastor da Assembleia de Deus no Rio de Janeiro.

A convenção do PSC vai contar com a presença de 60 delegados e, de acordo com pré-candidato, o nome do indicado à vice-presidência será apresentado apenas no dia 30, quando termina o prazo estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a escolha dos candidatos. “Estamos esperando para ver se algum partido vai se coligar à nossa candidatura”, ressalta. Nas últimas eleições, o PSC apoiou a presidente Dilma Rousseff. “Acreditávamos que o governo seria para o cidadão”, diz. Como opositor ao governo, pastor Everaldo, do mesmo partido do deputado federal Marco Feliciano, deverá ser opção aos conservadores, por ser contra o aborto e o casamento homossexual.

VIRADA

A expectativa de Eduardo Jorge é de que seu nome também seja confirmado hoje como candidato a presidente pelo PV, na convenção do partido, que vai reunir cerca de 350 delegados. Célia Sacramento (PV), vice-prefeita de Salvador, é o nome mais cotado para ser indicada a vice-presidente.

Médico sanitarista, Eduardo Jorge, que já foi deputado estadual em São Paulo e secretário em diversas gestões na prefeitura da capital paulista, tem atualmente 1% das intenções de voto nas pesquisas eleitorais e acredita numa virada. “Sou pouco conhecido fora de São Paulo, mas essa eleição será muito atípica por causa da revolta do povo com a representação atual”, diz.

O pré-candidato não se inibe com o fato de o partido ter firmado aliança estadual com o PSDB, partido do presidenciável Aécio Neves, para apoiar o nome de Pimenta da Veiga ao governo de Minas. “É claro que o ideal seria reproduzir a candidatura própria nos estados. Porém, respeitamos a implantação do PV em cada estado. O PV é um partido de vanguarda e nos lançamos à Presidência para que as pessoas tenham a opção de votar verde”, ressalta.

O fim de semana será de definições também em São Paulo, com a expectativa da confirmação das candidaturas do ex-presidente da Fiesp Paulo Skaf (PMDB) e do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT) ao governo do estado.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.