• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Discussões futebolísticas » Futebol cruza a área da política dos pré-candidatos ao Governo e ao Senado Por conta da estreia da Seleção na Copa, pré-candidatos vão dar uma pausa hoje nas discussões políticas. Conheça qual a relação deles com a Canarinho e o Mundial

Jairo Lima - Especial para o Diario de Pernambuco

Filipe Barros - Diario de Pernambuco

Publicação: 12/06/2014 09:47 Atualização: 12/06/2014 14:45

Cada um vai ter uma história para contar, que vai, a partir do apito final de mais tarde, somar às memórias que o quarteto carrega sobre o futebol. Foto: Editoria de arte/DP (Editoria de arte/DP)
Cada um vai ter uma história para contar, que vai, a partir do apito final de mais tarde, somar às memórias que o quarteto carrega sobre o futebol. Foto: Editoria de arte/DP

A corrida eleitoral no estado vai dar uma pausa hoje, com a estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo diante da Croácia. Pelo menos durante um dia, as estratégias políticas dos pré-candidatos ao governo do estado e ao Senado em Pernambuco vão ceder espaço para as discussões futebolísticas, com debate sobre esquema tático, se o time jogou bem ou não, a importância da torcida brasileira… Enfim, cada um vai ter uma história para contar, que vai, a partir do apito final de mais tarde, somar às memórias que o quarteto (Armando Monteiro, Paulo Câmara, Fernando Bezerra Coelho e João Paulo) carrega sobre o futebol e, especialmente, em relação à Seleção Brasileira e à Copa do Mundo, como podem ser conferidas nos relatos dados por eles à reportagem do Diario nesta semana.

Armando Monteiro (PTB)

O pré-candidato ao governo tem uma relação familiar “muito lúdica”, como classificou o petebista com o futebol. “Meu jogo predileto quando era criança sempre foi o futebol. Nunca fui um craque. Mas sempre tive muito gosto de participar dos jogos. Seja na minha casa, no meu colégio, na praia, eu sempre tive no futebol o esporte que eu me senti mais próximo”, relembra o senador, que vai assistir aos jogos da Seleção com a família em casa. Além disso, o pai do senador, Armando Monteiro Filho, chegou a jogar no time profissional do Sport.

Paulo Câmara (PSB)

O pré-candidato ao governo, que vai assistir aos jogos  com a família, não esquece a vitória do Brasil sobre a Bolívia, nas Eliminatórias para a Copa de 1994, que teve a participação direta da torcida pernambucana. “Foi aqui, em 1993, que o Brasil deu a arrancada rumo à Copa de 1994, com aquela brilhante vitória por 6 a 0 contra a Bolívia, no Arruda. Eu estava presente no estádio e vi naquele momento a união entre os brasileiros comandados por Ricardo Rocha, um grande pernambucano, de mãos dadas e, a partir dali, o Brasil foi tetracampeão”, contou.

Fernando Bezerra (PSB)

Pré-candidato ao Senado, o ex-presidente do Santa Cruz vai ficar em casa com a esposa e um grupo de cerca de 30 amigos. “Vamos torcer pelo Brasil. Acho que a Seleção está bem encaixada, bem montada. Felipão conseguiu engrenar o time”. O socialista faz um prognóstico e aponta uma final entre Brasil e Argentina. Sobre as Copas, o senador ainda lamenta o Mundial de 1982. “Foi a melhor seleção de todos os tempos e não venceu a Copa. Em 1978, o Brasil não perdeu nenhum jogo na Copa da Argentina e perdemos o título”, comentou Bezerra.

João Paulo (PT)

Pré-candidato ao Senado, João Paulo, que é torcedor do Sport, aposta no talento de Neymar para conquistar o hexa. “Muita inspiração, muita paixão e muito respeito ao povo brasileiro”, afirmou o deputado, que acredita que a pressão feita pela torcida brasileira no último amistoso, diante da Sérvia, foi fundamental. “Normalmente, eu prefiro quando a Seleção é vaiada, como foi agora. Parece que a vaia antes dos jogos sempre tem dado certo como instrumento de pressão popular para exigir mais qualidade, mais empenho e mais amor à camisa da Seleção”.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.