• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Sintonia » Números apontam avanço da parceria entre Eduardo e Marina Pesquisa divulgada ontem pelo Ibope, levando em consideração possíveis chapas presidenciais, revela que Eduardo está tecnicamente empatado com Aécio Neves

Rosália Rangel

Publicação: 11/06/2014 08:21 Atualização:

As divergências nos palanques estaduais não colocam em risco a aliança nacional entre o PSB e a Rede. O presidenciável do PSB, Eduardo Campos, e a ex-senadora Marina Silva (PSB/Rede) usaram ontem o Facebook para mostrar que "nada mudou" na parceria. Uma sintonia retratada na pesquisa divulgada ontem pelo Ibope. Os dados revelaram que com Marina em sua chapa, o socialista salta de um patamar de 13% para 18% nas intenções de voto, ficando tecnicamente empatado com o pré-candidato do PSDB, Aécio Neves (22%).

O cenário foi constatado quando o entrevistado respondeu a pergunta sobre em quem votaria a partir da indicação do nome do candidato a presidente da República e seu provável vice. Nesse caso, a chapa de Aécio tinha Tasso Jereissati (PSDB) como vice. Já Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) têm 37%.

A pesquisa Ibope mostrou também que a presidente Dilma oscilou negativamente em relação ao último levantamento (40% para 38%), enquanto Aécio Neves (20% para 22%) e Eduardo Campos (11% para 13%) tiveram uma ascensão. A sondagem também aponta a perspectiva de um segundo turno, a exemplo do que revelam outros institutos de pesquisa. Os percentuais obtidos pelos adversários de Dilma chegam a 41% contra os 38% da petista.

"Eu não tenho dúvida que nós vamos ganhar a eleição. Estamos no caminho certo. É só deixar chegar a campanha e o assunto entrar na cabeça das pessoas. Isso vai acontecer a partir de agosto. Em setembro, a gente vai viver um outro momento, muita gente que está no voto branco, no voto nulo, na indignação, sem participar, vai para as ruas divulgar que existe um caminho novo para o Brasil mudar. E é o que vai acontecer", disse Eduardo.

Esforço

Os números da pesquisa justificam o esforço de Eduardo e Marina para manter a tranquilidade na coligação. Ontem, o socialista compartilhou em sua página no Facebook a mensagem postada pela aliada, na qual reafirma a parceria com o PSB. Ele também foi enfático quando questionado sobre as divergências no estado de São Paulo.

"Essa é uma questão meramente estadual. Não tem nada a ver com a aliança nacional, que foi fechada em torno de um programa, de um pensamento para o Brasil. É muito maior de que qualquer episódio", comentou o presidenciável Eduardo Campos.

Saiba mais

Cenário com os partidos menores

Dilma Rousseff (PT) 38%
Aécio Neves (PSDB) 22%
Eduardo Campos (PSB) 13%
Pastor Everaldo (PSC) 3%
José Maria (PSTU) 1%
Magno Malta (PR) 1%
Eduardo Jorge (PV) 1%
Outros com menos de 1% 1%
Branco/nulo/ 13%
Não sabe/não respondeu 7%

Evolução dos três primeiros candidatos na pesquisa
Abril Maio Junho
Dilma Rousseff (PT) 37% 40% 38%
Aécio Neves (PSDB) 14% 20% 22%
Eduardo Campos (PSB) 6% 11% 13%

Cenário com possíveis chapas presidenciais

Dilma Rousseff (PT)/Michel Temer (PDMD)
37%

Aécio Neves (PSDB)/Tasso Jereissati (PSBD)
22%

Eduardo Campos (PSB)/Marina Silva (PSB)
18%

Branco/nulo/ 17%
Não sabe/não respondeu 6%

Cenário presidencial com seus respectivos apoios
Dilma Rousseff (PT), com apoio do ex-presidente Lula
40%

Aécio Neves (PSDB), com o apoio de Fernando Henrique Cardoso
22%

Eduardo Campos (PSB), com o apoio de Marina Silva
18%

Branco/nulo/ 15%
Não sabe/não respondeu 6%

Obs: A pesquisa foi contratada pela União dos Vereadores do Estado de São Paulo e entrevistou 2002 pessoas em 142 municípios do País entre 4 e 7 de junho. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 2 pontos percentuais. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo Nº BR-00154/2014

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.