• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições de 2014 » PP e PDT ainda não definiram o palanque em Pernambuco

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 02/06/2014 08:52 Atualização:

Eduardo da Fonte quer ampliar presença do partido no Legislativo. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Eduardo da Fonte quer ampliar presença do partido no Legislativo. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
A poucas semanas das convenções partidárias, a novela em torno das indefinições de PP e PDT para o pleito estadual ganha mais força. Se nacionalmente os dois partidos já manifestaram apoio irrestrito à reeleição da presidente Dilma, em Pernambuco a história é diferente. Representantes das legendas insistem que o cenário está em aberto e podem pender tanto para a Frente Popular, do pré-candidato Paulo Câmara (PSB), quanto para a chapa de oposição, encabeçada pelo senador Armando Monteiro (PTB). Um fato que pode fazer a diferença na hora da escolha, principalmente para o PP, é a eleição proporcional para a Câmara e Assembleia Legislativa.

Nos bastidores, lideranças do PP dizem, em reserva, que é bastante provável que o partido siga para o palanque do PSB. O motivo é simples. Caso fique com os socialistas terá mais chance de eleger um número maior de deputados. O presidente estadual da legenda, o deputado federal Eduardo da Fonte, já deixou claro que a principal meta do partido nessas eleições é ampliar sua participação. %u201CQueremos aumentar a importância do partido. Hoje temos três federais e três estaduais. Nossa intenção é ampliar para pelo menos quatro federais e seis estaduais%u201D, explica.

Pelos lados do PDT, apesar de líderes como o prefeito de Caruaru, José Queiroz, e o presidente da Assembleia, Gulherme Uchoa, já terem declarado apoio a Paulo Câmara, a tendência é mesmo que o partido siga a determinação nacional. %u201CO anúncio pode ser feito nesta semana%u201D, revelou o deputado federal Paulo Rubem, cotado, inclusive, para ser vice de Armando.

Saiba mais

PP na Frente Popular

Pró
PP já declarou que a intenção do partido é aumentar sua participação tanto na Assembleia Legislativa quanto na Câmara Federal. Hoje o partido possui três deputados federais e três estaduais. Com o cálculo proporcional, quer chegar a, pelo menos, quatro federais e seis estaduais

Contra
Partido precisaria dividir espaço com outras legendas de peso, como PSDB, PMDB e DEM. Presença na chapa até pode aumentar a representação parlamentar, mas O PP continuaria sendo uma espécie de partido de apoio, com papel secundário no governo.
PDT na Frente Popular

Pró
Importantes lideranças do partido já declararam apoio ao PSB. No caso de uma aliança com a Frente, esses caciques facilitariam o processo de entendimento e de negociação por um papel importante dentro do governo socialista.

Contra
Caso escolham aderir à candidatura do PSB, os pedetistas de Pernambuco bateriam de frente com o projeto nacional do partido de eleger Dilma e suas bases no âmbito estadual.

PP na oposição

Pró
Partido poderia exercer um papel de grande importância em um futuro governo comandado por Armando Monteiro. Discute-se, hoje, também, a possibilidade de o PP ocupar a vaga de suplente para Senador ou até a vice, caso o PDT saia de cena.

Contra
Chances de tornar-se um partido mais representativo em Brasília e na Assembleia cairíam

PDT na oposição

Pró
PDT teria espaço de destaque garantido dentro da candidatura majoritária, já que o cargo de vice foi oferecido por Armando ao partido

Contra
O principal nó a ser desfeito, caso a aliança com a oposição saia, será o de isolar as lideranças que apoiam o PSB, de forma a evitar uma divisão do partido

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.