• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Propostas » Falando a mesma língua Para uma plateia de empresários da construção civil, Eduardo Campos e Dilma Rousseff defenderam a manutenção e ampliação do Minha Casa, Minha Vida

Rosália Rangel

Publicação: 24/05/2014 12:56 Atualização:

Socialista prometeu construir quatro milhões de moradias caso seja eleito (Leo Iran/Divulgação)
Socialista prometeu construir quatro milhões de moradias caso seja eleito
Em meio a tantas divergências evidenciadas desde o rompimento político, no segundo semestre do ano passado, o programa Minha Casa, Minha Vida surge como um ponto de convergência entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e presidenciável do PSB, Eduardo Campos. Os dois defenderam a iniciativa no Encontro Nacional da Indústria da Construção Civil, realizado em Goiânia. Eduardo participou ontem do evento, enquanto a petista conversou com os construtores na última quarta-feira.

Diante de um público a quem interessa a manutenção e ampliação do projeto, o socialista prometeu, caso seja eleito, construir 4 milhões de moradias no quatro anos de gestão. A presidente Dilma Rousseff, por sua vez, defendeu os subsídios oferecidos pelo governo federal para o financiamento das casas populares, além de confirmar o lançamento da terceira etapa do programa federal para a próxima quinta-feira.

Apesar da defesa de ambos, Campos fez uma crítica sutil à forma como o programa é conduzido atualmente. “O Minha Casa, Minha Vida foi um programa criado para ficar, mas como política de estado e não de governo”. Ele destacou, inclusive, que, nos últimos seis anos, foram construídas 3 milhões de moradias e, a exemplo da presidente Dilma, prometeu manter o subsídio ao projeto, o que, na avaliação dele, foi acertado. “Precisamos manter, ampliar e aprimorar o programa além dos horizontes do governo”, observou.

Elogios

No evento, o socialista elogiou a adesão de antigos programas do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no Bolsa Família do governo do petista Lula, alertando que “essas conquistas podem ser aperfeiçoadas, fortalecidas e não podem servir de embate”.
A presidente Dilma Rousseff também foi enfática na defesa do financiamento ao dizer que é no Minha Casa, Minha Vida onde o governo federal gasta os maiores valores de subsídios. A petista destacou, ainda, que o lançamento da terceira etapa deverá acontecer antes da conclusão da atual fase para dar tempo ao empresariado saber o que será possível investir “nesse horizonte que se estende pelos próximos quatro anos”. (com agências)

Saiba mais

Minha Casa, Minha Vida

Na gestão Dilma Rousseff
3.389.630 é o número de unidades habitacionais contratadas desde 2009, quando o programa foi lançado para permitir o acesso à casa própria às famílias de baixa renda

No Brasil
R$ 211,5 bilhões é o valor do investimento do programa
1.660.256 é o número de unidades entregues no país

No Nordeste
975.246 é a quantidade de moradias contratadas
423.125 é o número de unidades entregues

Em Pernambuco
118.647 moradias foram contratadas
48.418 é o total de casas entregues
R$ 6,2 bilhões é o valor do investimento no estado

Fonte: Ministério das Cidades

Promessa de Eduardo Campos

4 milhões é o número de unidades que promete construir
4 anos é o tempo em que o socialista pretende entregar todas as moradias prometidas

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.