• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ibope » Vantagem da presidente Dilma é reduzida na corrida eleitoral Levantamento divulgado ontem confirma crescimento das intenções de votos para o tucano Aécio Neves e o socialista Eduardo Campos, que juntos se aproximam de Dilma Rousseff

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 23/05/2014 08:28 Atualização: 23/05/2014 08:41

Pesquisa Ibope divulgada ontem repetiu o crescimento dos candidatos de oposição - Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Campos (PSB-PE) - detectado em outros levantamentos recentes e aponta a possibilidade de a disputa presidencial ser decidida apenas no segundo turno. A diferença entre a intenção de votos dos nove candidatos de oposição e da presidente Dilma Rousseff é, agora, de apenas três pontos percentuais (40% a 37%). Entre os oposicionistas, o tucano subiu seis pontos percentuais (14% em abril para 20% agora), enquanto o socialista cresceu cinco (de 6% para 11%) - a petista foi de 37% para 40%. Chamou atenção o decréscimo dos brancos e nulo: de 24% para 14%.

“O desejo de mudança se apresenta mais forte que nunca no coração das pessoas de todos os recantos do Brasil. O povo já escolheu a mudança”, disse Eduardo Campos na sua página oficial no Facebook. “O ponto em comum em todas as pesquisas é que cresce a intenção de voto à medida em que cresce o número de pessoas que conhecem Eduardo Campos”, diz a assessoria de imprensa do socialista.

Aécio comemorou o resultado e destacou que tem crescido em todas as pesquisas de intenção de voto divulgadas recentemente. “Confirma o crescimento do conjunto das oposições, mesmo com o grau de conhecimento dos candidatos muito menor do que o da atual presidente”, comentou o tucano.

Para o professor de Ciências Políticas da UnB Octaciano Nogueira, é comum, neste momento da disputa, a oscilação nos índices de intenção de voto dos candidatos. “Daqui para frente, cada vez mais, valerá o poder de convencimento dos candidatos perante o eleitorado”, afirmou Nogueira.

Números da pesquisa Ibope (em %)

Dilma Rousseff (PT) 40
Aécio Neves (PSDB): 20
Eduardo Campos (PSB): 11
Pastor Everaldo (PSC): 3
Eduardo Jorge (PV): 1
José Maria (PSTU): 1
Eymael (PSDC): 0
Levy Fidelix (PRTB): 0
Mauro Iasi (PCB): 0
Randolfe Rodrigues: 0
Brancos e nulos: 14
Não sabe/não respondeu: 10

Evolução dos candidatos nas três últimas pesquisas (%)

Presidenciáveis    13 a 17 de março    10 a 14 de abril    15 a 19 de maio
Dilma Rousseff (PT)    40    37    40
Aécio Neves (PSDB)    13    14    20
Eduardo Campos (PSB)    6    6    11
Pastor Everaldo (PSC)    3    2    3
Outros    1    3    3
Branco/Nulo    24    24    14
Não sabe    12    13    10

Rejeição

Em qual desses candidatos não votaria de jeito nenhum (%)
    abril    maio
Dilma Rousseff (PT): 33    33
Aécio Neves (PSDB): 25    20
Eduardo Campos (PSB): 21    13

Em caso de 2º Turno (%)

cenário 1  
    abril    maio
Dilma Rousseff (PT)    43    43  
Aécio Neves (PSDB)    22    24

cenário 2
    abril    maio
Dilma Rousseff (PT)    44    42      
Eduardo Campos (PSB) 17    22

Avaliação do governo Dilma (%)
    abril    maio
ótima ou boa    34    35
regular    34    30
ruim ou péssimo    30    33

Entrevistados que gostariam que o próximo presidente mudasse totalmente o governo do País (%)
abril    maio
30    30

67% dos entrevistados que querem mudanças desejam que sejam feitas por outro presidente no lugar de Dilma Rousseff

25% desejam mudanças, mas com a manutenção da atual presidente no cargo

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em 140 municípios entre os últimos dias 15 e 19. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que o instituto tem 95% de certeza de que os resultados obtidos estão dentro da margem de erro

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.