• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Senador de Minas Gerais » "Já experimentei maconha e ficou por aí", admite Aécio Neves

Tércio Amaral

Publicação: 22/05/2014 09:47 Atualização: 22/05/2014 14:22

Foto: Bruno Peres/CB/D.A Press
Foto: Bruno Peres/CB/D.A Press

O senador de Minas Gerais e pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, de 54 anos, admitiu ao jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira (22) que já experimentou maconha na juventude. Não é a primeira vez que o tucano relata a experiência, mas faz uma ponderação: “Quando tinha 18 anos experimentei maconha e ficou por aí. Eu não recomendo que ninguém faça”.

Alguns integrantes de seu partido são um dos poucos que defendem abertamente a legalização da erva no país. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, também do PSDB, argumenta que a descriminalização diminuiria o tráfico e a violência. Aécio, no entanto, é contra.

Na entrevista, o tucano também relatou que pretende discutir possíveis reformas no Código Penal. Ele foi indagado por conta de um número expressivo: um quarto da população carcerária do país, que é de meio milhão de pessoas, é presa por conta do tráfico de drogas.

“Não, claro que não é bom, por isso eu estou propondo uma inflexão profunda na reforma do Código Penal, do Código de Processo Penal, onde nós possamos dar vigor, agravar as penas dos traficantes, é esses que nós temos que buscar. E, obviamente, compreender que esse tipo de pequeno delito pode ter punição e deve ter, sim, mas punições paliativas, trabalhos comunitários.”

Sobre a experiência no Uruguai, que recentemente permitiu o uso da maconha pela população, Aécio declarou que o Brasil pode olhar a experiência, mas acha que não deve seguir o exemplo.

"Eu não gostaria de ver o Brasil como cobaia de uma experiência que não se sabe qual é o resultado. Já me manifestei sobre essa questão mais de uma vez. Não acho que essa seja uma agenda para o Brasil. Não sou a favor, para ficar claro, da descriminalização”, completou. O tucano também se posicionou sobre outro tema polêmico: a eutanásia.

Apesar de não se colocar a favor da legalização, se disse aberto para debates. Aécio argumentou que não é especialista no assunto. “Mas eu não me colocaria a favor, isso é uma questão que envolve uma questão religiosa, de crenças, mas é uma discussão que a sociedade vai enfrentar. Eu nunca me detive sobre ela”.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.