• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Petrobras » Oposição promete boicote ao governo e Cerveró deve depor à CPI esvaziada Líder do DEM disse que intenção dos opositores é "mostrar que essa CPI é chapa branca e não quer investigar nada"

Paulo de Tarso Lyra

Publicação: 22/05/2014 08:01 Atualização:

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A oposição vai manter a estratégia do boicote à CPI da Petrobras e não comparecerá nesta quinta-feira ao depoimento do ex-diretor da área internacional da estatal Nestor Cerveró. “Nós queremos constranger o governo e mostrar que essa CPI é chapa branca e não quer investigar nada”, disse o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN). Sem a presença dos oposicionistas, o relator da CPI, senador José Pimentel (PT-CE), vai colocar em votação o requerimento para convocar o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Existe, contudo, um receio de que o ex-diretor resolva expor as atividades como lobista logo após a exoneração da estatal, em março de 2012. Essa seria a única maneira, entendem aliados do Planalto, de Costa constranger o governo. Relatório da Polícia Federal encaminhado ontem ao juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, afirma que há suspeitas da existência de uma “organização criminosa no seio da empresa Petrobras” que patrocinaria desvio de recursos públicos para o exterior e o consequente “retorno de numerário via empresas offshore”.

Ainda de acordo com a PF, esse esquema, do qual Costa fazia parte desde o tempo em que ajudou nas negociações da compra da refinaria de Pasadena, no Texas, serviria de base para “pagamento de propinas e abastecimento financeiro de grupos criminosos envolvidos no ramo petroleiro”.

Agripino garante que a oposição não estará presente nem mesmo se Paulo Roberto Costa for convocado à CPI do Senado. “Se ele for lá, terá que vir à comissão mista. Na melhor das hipóteses, estaremos pautando a CPI governista, pois eles terão de ser mais duros com os depoentes”, disse o senador do DEM, que afirmou não entender por que Paulo Roberto Costa está solto. “Essa é uma resposta que deve ser ao Brasil, não apenas à oposição”, cobrou.

Se Costa está solto, a Justiça Federal do Paraná decretou um novo pedido de prisão contra o doleiro Alberto Youssef, desta vez, pelo envolvimento no caso Banestado, no qual responde por crimes de gestão fraudulenta de instituição financeira, evasão de divisas e corrupção ativa. Na época, ele negociou uma delação premiada, mas perdeu o benefício por ter voltado a praticar crimes.

Youssef já está preso preventivamente na Polícia Federal em Curitiba por causa da Operação Lava a Jato, na qual é acusado de ter movimentado ilegalmente algo como R$ 10 bilhões. Assim, caso do Supremo Tribunal Federal (STF) mande soltar o doleiro, como fez com Costa, ele não poderá ganhar a liberdade.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.