• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Constrangimento » Declaração do Pastor Eurico contra Xuxa foi considerada "infeliz" por Anderson Ferreira Bancada evangélica não apoiou a atitude do pastor diante da apresentadora

Ana Luiza Machado

Publicação: 21/05/2014 19:50 Atualização: 22/05/2014 10:49

Radicalismo do Pastor Eurico (à esquerda) não conseguiu respaldo de integrantes da bancada como o deputado federal Anderson Ferreira (PR)  (Duvulgação/
Agência Câmara )
Radicalismo do Pastor Eurico (à esquerda) não conseguiu respaldo de integrantes da bancada como o deputado federal Anderson Ferreira (PR)

O posicionamento do deputado federal Pastor Eurico (PSB-PE) além de não ter sido aplaudido por integrantes da bancada evangélica, da qual ele faz parte, ainda provocou a sua destituição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Durante a discussão sobre a redação final do projeto de lei contra a palmada, nesta quarta-feira (21), o parlamentar afirmou, que a presença da apresentadora Xuxa Meneghel na sessão era "um desrespeito às famílias brasileiras", se referindo ao filme "Amor Estranho Amor", de 1982, em que ela aparece numa cena de sexo com um adolescente de 12 anos.

Ao declarar que, naquele ano, Xuxa teria provocado "a maior violência contra as crianças", constrangeu não só a ela, que estava na Câmara Federal a convite dos parlamentares, como os presentes na reunião. Ao lado da ministra dos Diretos Humanos Ideli Salvatti, a apresentadora preferiu não se manifestar. A sessão foi tumultuada e o projeto acabou sem ser concluído.


Para o deputado federal pernambucano Anderson Ferreira (PR), que também integra a bancada evangélica na Câmara, o posicionamento do Pastor Eurico foi "infeliz". "O segmento evangélico não deve atuar com radicalismo, mas com posicionamentos constitucionais, regimentais e defender seus princípios cristãos com preparo e não com desequilíbrio pregando o ódio. Porque a palavra de Deus nos ensina que devemos amar todas as pessoas", afirmou Ferreira. O desequilíbrio visto pelo colega de bancada tem sido acompanhado de perto pelo líder do PSB na Casa Beto Albuquerque, que resolveu tirá-lo da CCJ.

Pastor Eurico é autor do polêmico projeto denominado "cura gay". Essa proposta contraria a resolução do Conselho de Psicologia que proíbe tratamentos a pessoas que desejam deixar de ser homossexuais. O projeto foi considerado "homofóbico" pela comunidade LGBT e, a postura radical de Eurico para com o segmento, destoa do pensamento do presidente do PSB, pré-candidato à Presidência da República Eduardo Campos, que no último dia 17 (Dia Internacional contra a homofobia) colocou nas redes sociais: "Sou PSB e sou contra a homofobia". 

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.