• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pré-campanha » Eduardo Campos promete SUS com selo de qualidade inglês Em palestra para médicos e estudantes da área, socialista destacou a necessidade de se investir na rede pública de saúde

Rosália Rangel

Publicação: 07/05/2014 08:59 Atualização:

Com um discurso recheado de críticas ao governo federal por não investir mais recursos na rede pública de saúde, o ex-governador e presidenciável do PSB, Eduardo Campos, quer elevar ao padrão oferecido na Inglaterra o serviço existente no país. “Queremos um sistema único de padrão inglês, que foi onde nós nos inspiramos para fazer o SUS”, afirmou o socialista em palestra na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, onde falou ontem para uma plateia formada, basicamente, por médicos e estudantes.

Na avaliação de Campos, a distribuição de recursos precisa ser revista no Brasil de forma que possa destinar mais recursos para áreas prioritárias, a exemplo da saúde e educação. “Precisamos ter a clareza que há subfinanciamento por parte da União. A União financiava 85% (na saúde) e hoje financia menos da metade”. O socialista disse, ainda, que no próximo ano o país precisa assumir no PPA (Plano Plurianual) “um compromisso claro” com o crescimento da saúde pública.

O presidenciável destacou a necessidade de aprofundar o debate na área de saúde, com olhar mais voltado, inclusive, para a média complexidade, quando questionado sobre o Programa Mais Médicos, uma das apostas eleitorais da presidente Dilma Roussseff (PT). Para Campos, trata-se de uma iniciativa que será “fortemente derrotada”. Apesar da avaliação, ele garantiu que não vai acabar com o programa, alegando que não pode retirar médicos de comunidades que não têm alternativas.

Em relação aos médicos cubanos, que recebem uma remuneração menor porque parte dos salários é repassado ao governo de Cuba, Eduardo disse que os profissionais devem receber como trabalhadores brasileiros. “Agora, esse sinceramente não é o debate sobre a saúde. Talvez esse seja o debate que interessa ao governo fazer. Ninguém é contra trazer médicos para trabalhar em comunidades pobres”, frisou.

À tarde, Eduardo Campos fez uma visita à Feira APAS 2014, promovida pela Associação Paulista de Supermecadistas. Na ocasião, reforçou a importância do setor varejista para economia do Brasil. “Trata-se de um mercado que envolve mais 40 mil empregos e contribuiu de forma expressiva para o crescimento do país, com forte geração de emprego e renda”, destacou.

O SUS inglês

No sistema público de saúde na Inglaterra, o profissional que trabalha em uma cidade de porte médio ou em um pequeno município recebe o mesmo salário do que trabalha na capital (Londres)

O SUS inglês é considerado o melhor sistema de saúde pública do mundo, com ênfase na atenção ambulatorial

A gestão dos recursos é feita pelos integrantes das equipes do programa saúde da família

É o usuário do sistema quem escolhe, no bairro onde mora, a equipe que vai lhe atender em sua comunidade

Os profissionais da saúde passam por um constante processo de reciclagem, participando de cursos de capacitação e aprimoramento

O sistema tem a maior cobertura e aprovação pela população na Europa dos serviços de saúde oferecidos

É o sistema com menor custo do continente europeu

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.