• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições » Aécio ironiza postura de Dilma em relação às denúncias contra a Petrobras Para senador e candidato tucano ao Palácio do Planalto, presidente cria um inimigo imaginário ao sugerir que a oposição pretende privatizar a Petrobras

Juliana Cipriani -

Publicação: 06/05/2014 07:27 Atualização: 06/05/2014 09:43

Foto: Gustavo Rampini/Divulgação
Foto: Gustavo Rampini/Divulgação

O senador Aécio Neves, pré-candidato do PSDB à Presidência da República, ironizou nessa segunda-feira a postura da presidente Dilma Rousseff (PT) em relação às sucessivas denúncias contra a Petrobras e negou que os tucanos tenham intenção de privatizar a estatal. Ao falar para integrantes do Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas da Força Sindical (Sindnapi) em São Paulo, Aécio comparou Dilma a uma criança. “Vocês se lembram daquelas crianças que criavam um amigo imaginário e saíam conversando com ele? A presidente agora está criando o inimigo imaginário, e começa a brigar com ele”, afirmou.

O pré-candidato do PSDB criticou a fala da petista, que no fim de semana disse que não vai deixar que privatizem a Petrobras. “Quem está falando em privatizar a Petrobras? O que eu quero é reestatizar a Petrobras, porque ela foi privatizada pelos interesses escusos de um grupo político que dela se apoderou para fazer negócios”, afirmou Aécio. Com a intensificação da crise da estatal, integrantes do governo têm pregado que os ataques seriam uma estratégia da oposição para enfraquecer e desvalorizar a empresa, preparando o terreno para uma futura privatização.

O tucano voltou a reclamar dos anúncios feitos pela presidente Dilma em seu pronunciamento à nação pelo dia do trabalhador e anunciou que vai apresentar um projeto de lei para corrigir a tabela do Imposto de Renda nos próximos cinco anos pelo índice que mede a inflação (IPCA). Aécio disse que a correção do tributo, anunciada por Dilma, não pode ser moeda eleitoral. “Vamos parar com essa mania de querer fazer bondade pela metade, como ficou claro no anúncio dessas últimas medidas”, afirmou.

O mesmo se aplica, segundo o tucano, ao salário mínimo. Segundo o pré-candidato, o aumento real não pode ser uma arma usada em toda véspera eleitoral. “Por isso, o projeto assinado pelo Paulinho (Paulinho da Força) e pelo líder do meu partido, deputado Antonio Imbassahy, que garante até 2019 a correção real do salário mínimo, terá o nosso apoio e espero que seja aprovado na Câmara e no Senado o mais rapidamente possível”, garantiu.

Fator

Aécio não se posicionou sobre a pauta de reivindicações apresentada por sindicatos, mas se comprometeu a discutir todos os temas. O tucano convidou o ex-presidente do sindicato dos aposentados, João Inocentini, a ajudar o ex-governador Antonio Anastasia (PSDB) na formulação das propostas para o setor. Segundo ele, o fim do fator previdenciário é um dos assuntos a serem debatidos. “Todos esses temas, sem exceção, e são cerca de 12 propostas, serão discutidos e debatidos. Sobre cada um deles, durante a campanha, nós teremos a nossa posição”, disse.

O senador criticou o que chamou de desindustrialização do país. Segundo o tucano, o país perdeu, em quatro anos, cerca de 3 milhões de empregos industriais. “O Brasil voltou a ser o que éramos na década de 1950, somos de novo exportadores de commodities”, afirmou. O presidenciável prometeu trabalhar para resgatar a indústria brasileira.

Aos aposentados, o tucano disse ainda que o baixo crescimento e a alta da inflação serão heranças malditas do governo do PT. “A grande verdade, infelizmente, e participo de fóruns internacionais, de discussão com investidores brasileiros, é que há um clima de desconfiança em relação ao Brasil. O intervencionismo do governo, que tem matado os setores estratégicos para o crescimento, como o de energia, sinaliza negativamente na busca de investimentos que venham gerar empregos de maior qualidade e renda para os brasileiros”, avaliou.

 

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.