• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Direitos Humanos » ONU pede investigação da morte do coronel reformado do Exército Paulo Malhães O coronel foi encontrado morto na manhã de sexta-feira, dentro de sua casa, num sítio em Nova Iguaçu, depois que três homens a invadiram

Julia Chaib - Correio Braziliense

Daniela Garcia - Estado de Minas

Publicação: 29/04/2014 07:38 Atualização: 29/04/2014 07:45

O Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos, em Genebra, quer “investigação imediata” do assassinato do coronel reformado do Exército Paulo Malhães, que foi torturador de presos políticos durante a ditadura militar. O coronel foi encontrado morto na manhã de sexta-feira, dentro de sua casa, num sítio em Nova Iguaçu, depois que três homens a invadiram. “É preciso ter investigação imediata para esclarecer os fatos em torno desse caso, e que os responsáveis sejam levados à Justiça”, disse Ravina Shamdasani, uma das porta-vozes do Alto Comissariado. Ela informou que vai aguardar mais informações do escritório regional do Alto Comissariado, no Chile.

O delegado-adjunto da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), William Pena Júnior, informou ontem que aguarda o laudo cadavérico do corpo do tenente-coronel Paulo Malhães, de 77 anos, para saber se ele morreu ou não asfixiado. Júnior admitiu a possibilidade de o militar ter morrido de infarto decorrente da ação dos bandidos no local. “O perito tem um prazo legal de 10 dias para apresentar o laudo cadavérico, para que a gente possa ter acesso à causa da morte”, disse o delegado.

Em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, em março, Malhães confessou ter torturado presos políticos na ditadura militar. O delegado reafirmou que a principal linha da investigação é de latrocínio (roubo seguido de morte), mas não descartou outras hipóteses, como queima de arquivo.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.