• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

São Paulo » Eduardo critica preconceito à livre iniciativa e ao lucro

Publicação: 28/04/2014 17:52 Atualização: 28/04/2014 18:18

Cerca de 500 empresários do grupo Lide ouviram hoje metas de Eduardo para a economia. Marina (E) esteve presente (Fotos: Léo Cabral )
Cerca de 500 empresários do grupo Lide ouviram hoje metas de Eduardo para a economia. Marina (E) esteve presente

Pré-candidato à presidência da República, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB/PE), apresentou a empresários do LIDE - Grupo de Líderes Empresariais - nesta segunda-feira (28), em São Paulo, seu programa de governo dividido em cinco eixos temáticos, durante o segundo Almoço-Debate do ano, evento que registrou recorde histórico de 525 empresários presentes. O encontro, realizado no Hotel Grand Hyatt, foi presidido pelo empresário João Doria Jr. Ao lado de Eduardo Campos estava e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (PSB/AC), que também respondeu a perguntas dos participantes.

Campos comentou sobre as crises políticas e econômicas internacionais, que se estenderam até 2010 e atrapalharam os debates das últimas eleições presidenciais. “O Brasil pegou o caminho errado e agora é hora de retomar o caminho certo. Existe uma crise política que demanda um novo pacto social, que tem que ser gerido por uma nova política”, afirmou.

O candidato considera que este é o momento de construir um Brasil sem preconceitos à livre iniciativa e ao lucro, mas também que preze a sustentabilidade, a educação de qualidade, o atendimento à saúde – itens importantes que podem efetivamente mudar a vida brasileira. Dois desafios se colocam, um que dialogue com a economia, focado na produtividade, outro que dialogue com a sociedade e elimine a insegurança e o medo que assola a população em diversas cidades brasileiras.

“Não é momento de discutir os interesses de um ou de outro partido, mas de uma nova agenda para o País”, disse Campos, ressaltando que pretende preservar as conquistas que tivemos nos últimos 30 anos, não importando a que partido elas sejam atribuídas.

O candidato falou ainda sobre ter uma governança responsável, manter o tripé econômico, eliminar o ambiente hostil ao investidor, ampliar a inserção do Brasil no cenário internacional, ter clareza de que as despesas não podem crescer mais do que as receitas e também sobre uma revisão da quantidade de ministérios. A meta de sua equipe é chegar a 2018 com inflação de 4%, com crescimento de 4% do PIB. Também falou sobre a necessidade de se fazer uma reforma tributária, que não acontecerá da noite para o dia, mas que deverá ser fatiada e com metas bem definidas. Desta forma, acredita que “em uma década poderemos entregar um novo e efetivo sistema tributário para o País”.

Bolsa família
“É preciso ter a consciência de que essa é uma importante conquista de uma luta conjunta, à qual somos favoráveis”, respondeu Campos quando perguntado sobre a continuidade do programa. O que o bolsa família precisa, em sua opinião, é dar condições para que diminua o contingente de pessoas que necessitam do benefício, com um conjunto de políticas favoráveis de terceira geração, com educação e qualificação da mão de obra.

Geração de energia
Marina Silva discorreu sobre a questão da produção de energia elétrica no País. “É inadmissível ter crise de energia num país como o Brasil, que dispõe de um enorme potencial a partir de diversas fontes limpas, como a solar e a eólica”, disse. Ela afirmou ainda que é totalmente viável sair de uma matriz energética suja para uma matriz limpa, considerando a viabilidade econômica, social e ambiental dos novos projetos. O que falta, segundo ela, é um planejamento energético que considere a matriz energética brasileira de outras formas, uma visão estratégica para projetar não apenas a produção, mas também a eficiência, uma vez que hoje perdemos cerca de 30% do que é produzido. “É um absurdo, em meio a tantos recursos, vivermos à beira de um apagão”, completou.

Sobre o LIDE

Fundado em junho de 2003, o LIDE - Grupo de Líderes Empresariais possui dez anos de atuação. Atualmente tem 1.620 empresas filiadas (com as unidades regionais e internacionais), que representam 52% do PIB privado brasileiro. O objetivo do Grupo é difundir e fortalecer os princípios éticos de governança corporativa no Brasil, promover e incentivar as relações empresariais e sensibilizar o apoio privado para educação, sustentabilidade e programas comunitários. Para isso, são realizados inúmeros eventos ao longo do ano, promovendo a integração entre empresas, organizações, entidades privadas e representantes do poder público, por meio de debates, seminários e fóruns de negócios.

Aécio Neves

O senador Aécio Neves e presidenciável do PSDB foi o primeiro a ser convidado pelo LIDE para participar do Almoço-Debate. A presidente Dilma Rousseff também recebeu convite, mas ainda não confirmou a agenda.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.