• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições » Armando afirma que cooptação é feita dentro do palácio

Thiago Neuenschwander - Diario de Pernambuco

Publicação: 25/04/2014 16:03 Atualização: 25/04/2014 17:27

Foto: Jo Calazans/Esp. DP/D.A Press
Foto: Jo Calazans/Esp. DP/D.A Press

Um dia após acusar a Frente Popular de conceder uma "bolsa-eleição" e prometer obras para cooptar prefeitos de seu partido, o pré-candidato ao governo do estado pelo PTB, Armando Monteiro Neto, voltou a subir o tom contra os adversários. O senador afirmou que as reuniões com os gestores municipais ocorrem dentro do Palácio do Campo das Princesas e cogitou a possibilidade de o governador João Lyra Neto estar envolvido nessas negociações.

"Eu ainda dou um crédito ao governador João Lyra, apesar de ter informações de que essas reuniões ocorreram no palácio. E não há segredo. A prefeita de Arcoverde (Madalena Britto, do PTB) disse que havia uma promessa de R$ 11 milhoes em obras. O questionamento que eu faço é se essas promessas vinculam o governo e o governador João Lyra. Eu, conhecendo a trajetória de João e a postura que eu imagino que ele deva observar, fico imaginando que, se ele tivesse que fazer algo nessa direção, faria de forma democrática, mais republicana, mais transparente, garantindo o acesso de outros municípios e não uma bolsa-eleição que premie os infiéis", disparou Armando.

O senador foi irônico ao falar da "assistência extraordinária que estaria sendo dada aos prefeitos de seu partido para mudar de lado. "Nós já tivemos o FEM e agora estão criando o VEM ou o Super VEM. É preciso haver controle social sobre esse processo", disse o petebista fazendo referência ao Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM). A verba destinada aos municípios, no valor de R$ 241 milhões, foi liberada por Eduardo Campos quando estava prestes a deixar o mandato no mês passado.

As acusações do petebista vieram à tona após três prefeitos do PTB e quatro do PT anunciarem apoio à candidatura de Paulo Câmara. As últimas adesões foram as do prefeito de Gravatá, Bruno Martiniano, e de Arcoverde, Madalena Britto. Armando afirmou que irá a Gravatá neste sábado justamente para mostrar que as afirmações dos ex-aliados de que não recebiam a atenção devida do governo federal não procedem. "Tenho números expressivos sobre tudo que foi realizado na cidade de Gravatá. Em Arcoverde, somente a obra da adutora de Jatobá, que beneficia o município, foi orçada em R$ 40 milhões. Então essa conversa não é verdadeira", explicou.

Procurado pela reportagem, o secretário de Imprensa do governo do estado, Ivan Maurício, afirmou que o governador João Lyra Neto não iria se pronunciar sobre o assunto.

Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.