• (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mensalão » Juiz autoriza Pedro Corrêa a trabalhar em clínica de radiologia

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 23/04/2014 16:21 Atualização: 23/04/2014 22:39

Paulo Paiva/DP/D.A Press
Paulo Paiva/DP/D.A Press

O juiz da primeira vara de Execuções Penais do estado autorizou o ex-deputado Pedro Corrêa, preso desde o dia 27 de dezembro do ano passado, a fazer trabalhos externos. O ex-parlamentar, condenado a sete anos e dois meses no processo do mensalão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, vai trabalhar numa clínica de radiologia particular de Garanhuns, no Agreste do estado. O pedido da defesa de Corrêa foi feito há mais de três meses.   

Pedro Corrêa está preso no Centro de Ressocialização do Agreste em Canhotinho, cidade a 207 quilômetros do Recife. A clínica onde vai trabalhar fica localizada a cerca de uma hora de Canhotinho. O ex-parlamentar receberá um salário de três salários mínimos mais comissão. Não foi detalhado no entanto pelo juiz que comissão é esta nem quanto em real ela siginificará. Ele também conquistou o direito de visitar a família 35 dias por ano.

 

Os advogados do ex-deputado haviam requerido também que fosse liberado a obrigatoriedade do uso de tornozeleira eletrônica no preso e a autorização para que o mesmo fizesse um curso, mas ambos os pedidos foram negados pelo juiz.

Antes de ser convidado para trabalhar em Garanhuns, Corrêa havia recebido um convite do prefeito Edson Vieira (PSDB) para atuar como médico em um posto do programa Saúde da Família em Santa Cruz do Capibaribe.

O desembargador aposentado Clóvis Corrêa, primo do político preso, disse que ele recebeu a notícia com entusiasmo. “Ele está bem psicologicamente e ficou bastante feliz com a notícia. A decisão não agrada totalmente, pois há alguns pontos como a questão da tornozeleira, que é um pouco complicada. Mas entendemos a decisão do juiz, já que esse é um caso de repercussão nacional. Amanhã (hoje) deveremos enviar um carro à unidade para que a sentença seja entregue e ele possa trabalhar o mais rápido possível, talvez até no período da tarde já”, disse.

O primeiro pedido de autorização para trabalhar feito pela defesa de Pedro Corrêa foi protocolado na 3ª vara de Execuções Penais de Caruaru. A juíza Orleide Rosélia delegou autoridade para o diretor do presídio decidir sobre o pedido de trabalho de trabalhos externos.

A decisão dela, no entanto, foi contestada pelo titular da 1ª Vara, Luiz Gomes da Rocha Neto.Ele alegou, como processo estava sob sua responsabilidade, que ele é que deveria analisar o pedido da defesa. O juiz até solicitou que o Supremo Tribunal Federal definisse qual vara responderia pelo processo. O STF delegou a responsabilidade à 1ª vara no dia 11 de fevereiro.

O ex-deputado foi preso pela Polícia Federal no dia 27 de dezembro. Primeiro ele foi levado para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel). No dia 8 de janeiro, Pedro Corrêa foi transferido para Canhotinho.

Com informações do repórter Thiago Neuenschwander, especial para o Diario

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Jorge
Mais um bandido que continua solto, trabalhando tomando o lugar de uma pessoa de bem e ganhando, não se sabe quanto. Essa ladrão deveria passar o tempo da pena na prisão junto com os meliantes de sua qualidade, além de devolver todo dinheiro roubado. Essa deveria ser a determinação desse juiz. | Denuncie |

Autor: oliver oliveira
o crime compensa, nesse pais chamado brasil. isso e uma zona,um cara que desviou bilhões da nação,a justiça manda ele trabalhar,em clinica.isso e uma vergonha.pais de corruptos.O CRIME COMPENSA NO BRASIL. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.