• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Protesto » Técnicos do IBGE paralisam atividades e pedem fim da "interferência política" no instituto

Filipe Barros - Diario de Pernambuco

Publicação: 16/04/2014 13:44 Atualização:

Foto: Filipe Barros/Esp.DP/D.A Press
Foto: Filipe Barros/Esp.DP/D.A Press
A decisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de suspender até 2015 a divulgação dos resultados da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD) foi um dos principais motivos para que os técnicos do órgão realizassem uma paralisação em protesto contra a presidente do IBGE, Wasmália Bivar, na manhã desta quarta-feira (16), na sede do IBGE em Pernambuco, no edifício da Sudene. Estiveram presentes cerca de 70 servidores de uma quadro de 180.

Após uma decisão do Conselho Diretor do IBGE, a divulgação da pesquisa foi adiada para janeiro de 2015, ou seja, após as eleições. O quadro técnico do órgão acredita que a decisão demonstra a interferência política na decisão de suspender a divulgação. A decisão foi motivada por um pedido dos senadores Armando Monteiro (PTB) e Gleise Hoffman (PT-PR), ex-ministra da Casa Civil, que, segundo o analista de gestão do IBGE Bruno Alcântara, não questionaram a metodologia da renda per capita calculada pela PNAD e sim, apenas consultaram o método.

“Isso foi justificado através da consulta dos candidatos como Armando e a Gleise, mas eles pediram apenas uma consulta e isso virou uma paralisação, explicitado para nós que os dados não podiam ser divulgados. Isso é uma fagulha que mostra várias deficiências da gestão do IBGE. Nós definimos recursos públicos, orçamentos para o estado e esses dados não podem sofrer nenhum tipo de interferência das iniciativas partidárias e nem das privadas”, afirmou Bruno, defendendo a renúncia da atual presidente do IBGE que, segundo ele, faz uma gestão sem democracia. “A PNAD vem sendo estudada metadologicamente há mais de 10 anos sem consulta a equipe técnica e isso pode ter repercussões políticas”.

Uma lei complementar que entra em vigor em 2016 determina que este dado vai servir para calcular a divisão do Fundo de Participação dos Estados, uma verba do governo federal destinada aos estados com o objetivo de melhorar a distribuição de renda no país, por isso a importância da divulgação da renda per capita domiciliar.

Outros motivos potencializaram a paralisação dos servidores do órgão. No mês passado, o Ministério do Planejamento cortou o orçamento do instituto em pouco mais de 50% e, segundo os técnicos, alguns pagamentos estão atrasados. Atrelado a isso, depois da decisão de adiamento da divulgação da pesquisa, a diretora de pesquisas do IBGE e a diretora da Escola Nacional de Ciência e Estatísticas, Marcia Quintlsr e Denise Britz respectivamente, foram exoneradas.

O ato público está sendo realizado nacionalmente entre os trabalhadores do IBGE. Em Pernambuco, o quadro técnico deve permanecer com os serviços paralisados até o início da tarde desta quarta-feira (16). Atualmente são 427 servidores no estado, sendo 193 efetivos e 234 temporários.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.