• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições » Aécio faz duras críticas ao "aparelhamento" promovido pelo PT na Petrobras Em tom de campanha, o presidenciável promete reestatizar a empresa

Juliana Cipriani -

Publicação: 15/04/2014 09:00 Atualização:

O presidenciável do PSDB, Aécio Neves, reforçou as críticas da oposição ao loteamento promovido pelo governo federal na Petrobras. "Na última eleição, nos acusavam, o PSDB e o DEM, de querermos privatizar as empresas públicas. Diziam que privatizaríamos a Petrobras. O que eu quero é reestatizar a Petrobras, tirá-la das garras do partido político que a ocupou para fazer negócios, e entregá-la novamente aos interesses maiores da população", afirmou o tucano, em Salvador. Mais tarde, em evento no Rio de Janeiro, voltou a comentar o assunto: "Está na hora de a presidente da República devolver limpo o macacão dos funcionários da empresa. Quem está sujando a imagem da Petrobras é o PT, que estabeleceu o aparelhamento através da irresponsabilidade, que resulta na prisão de diretores em operações da Polícia Federal".

Ainda na capital baiana, Aécio confirmou que vai hoje ao Supremo Tribunal Federal (STF) em busca de uma liminar que permita a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. Segundo o senador mineiro, a oposição não vê problemas em uma devassa ampla, que investigue inclusive contratos dos adversários da petista. Para Aécio, a presença da presidente da estatal, Graça Foster, no Senado hoje será mais uma oportunidade para o governo dar explicações. "Esperamos o início do contraditório, do tempo do debate, da discussão. Queremos explicações para o fato de a Petrobras, que habitava, nos últimos anos, as páginas econômicas, agora não sair das páginas policiais", disse, acrescentando que o governo Dilma fracassou na economia, nos projetos de infraestrutura e nos indicadores sociais.

As críticas à gestão do governo federal e da Petrobras dividiram espaço com a comemoração da aliança fechada pela oposição com o PMDB na Bahia. A chapa, que terá o DEM na cabeça, o PSDB de vice e um nome peemedebista para o Senado. Aécio acredita que o acordo é apenas o primeiro dessa natureza. "Espero, sim, a partir do que se construiu na Bahia, que possamos ter parceiros do PMDB em outros estados da Federação ao nosso lado."

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.