• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cerimônia » Dilma defende a Petrobras em discurso Discurso aconteceu um dia antes de Graça Foster prestar esclarecimentos no Senado

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 15/04/2014 08:03 Atualização: 15/04/2014 08:28

Dilma se referiu à Petrobras como %u201Cuma empresa vencedora, que nada nem ninguém vai conseguir destruir%u201D. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A.Press (Paulo Paiva/DP/D.A.Press)
Dilma se referiu à Petrobras como %u201Cuma empresa vencedora, que nada nem ninguém vai conseguir destruir%u201D. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A.Press

Em visita a Pernambuco, a presidente Dilma Rousseff (PT) fez, ontem, a maior defesa pública da Petrobras desde a polêmica compra das ações da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. O discurso em prol da estatal ocupou mais da metade do pronunciamento de 44 minutos, feito na cerimônia que marcou a viagem inaugural e o batismo de dois navios produzidos no Complexo Industrial e Portuário de Suape, vitrine de gestão do ex-governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência da República, Eduardo Campos. O pronunciamento da petista foi uma espécie de prévia da defesa que a presidente da Petrobras, Graça Foster, fará hoje no Senado. Ela participa, às 10h, de audiência pública que tratará das denúncias de irregularidades na estatal.

Dilma se referiu à Petrobras como “uma empresa vencedora, que nada nem ninguém vai conseguir destruir”, e disse que não ouvirá calada “a campanha negativa dos que, por proveito político, não hesitam em ferir a imagem” da companhia. “A história da Petrobras e da exploração do petróleo em nosso país, aqui no Brasil, tem sido cercada de muitos desafios. Ela tem sido cercada de confusões e até mesmo de armadilhas”, afirmou. Dilma também disse que a Petrobras jamais será confundida com “qualquer malfeito, com corrupção ou qualquer ação indevida de quaisquer pessoas, das mais graduadas às menos graduadas”. “O que tiver de ser apurado vai se apurado com o máximo de rigor. O que tiver de ser punido vai ser punido também com o máximo de rigor”, assegurou. No fim, ela disse, ainda, que toda ação criminosa, corrupção ou ato ilícito de qualquer espécie será combatido.

Dilma centrou o discurso na crítica aos que duvidavam do potencial do Brasil na exploração do petróleo e usou números para embasar os argumentos. Disse, por exemplo, que entre 2003, primeiro ano de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e 2013, a produção cresceu 21%, o que significa mais de 358 mil barris por dia. Segundo ela, no mesmo período as gigantes mundiais do petróleo tiveram redução de produção na ordem de 15%, o que equivaleria a 338 mil barris.

Dilma creditou ao governo dela e ao do seu antecessor todo mérito em relação à exploração do petróleo e ao crescimento da indústria naval. “A Petrobras resistiu bravamente às tentativas de desvirtuá-la, reduzi-la e privatizá-la. As tentativas de sucateamento deixaram marcas profundas, mas temporárias, não apenas na Petrobras, mas em toda a cadeia de petróleo”, disse. Segundo ela, a redução dos investimentos, em especial em tecnologia, além da baixa valorização e renovação do “capital humano” corroeram a empresa. “Mas ela teve força para resistir”, enfatizou.

Na comitiva

Graça Foster integrou a comitiva que acompanhou Dilma a Ipojuca. Em um discurso de apenas quatro minutos, ela disse que acredita mil vezes na Petrobras. “Nós vamos produzir no ano que vem mais petróleo que fazemos hoje e depois mais um pouco. Em 2018, serão 3,2 milhões de barris de petróleo por dia. E isso já está contratado. Eu tenho a certeza absoluta que nós vamos continuar juntos por muitos anos. Vocês (os trabalhadores do Estaleiro Atlântico Sul) que sabem fazer e nós que sabemos contratar porque acreditamos na Petrobras”. Ela finalizou dirigindo-se aos cerca de 1,5 mil funcionários da indústria naval que participavam da cerimônia afirmando que “nesse momento, eu preciso muito da energia de todos vocês”.

Saiba mais

Em 2003, primeiro ano do governo Lula, a Petrobras valia R$ 15,5 bilhões

R$ 98 bilhões é o valor atual da Petrobras no mercado

Entre 2003 e 2013, foram investidos US$ 306 bilhões na Petrobras. Apenas no ano passado, foram US$ 48 bilhões

Em 2002, o montante de investimentos na Petrobras foi de US$ 6,6 bilhões

O lucro líquido da estatal passou de R$ 8,1 bilhões para R$ 23,6 bilhões entre 2003 e 2013

Ao citar que a Petrobras revolucionou a indústria naval brasileira, Dilma disse que o ramo empregava menos de 8 mil pessoas em 2004. Hoje, esse número chega perto de 8 mil e deve bater a casa de 100 mil empregos em 2017

A Petrobras tem 133 plataformas,  41 sondas de perfuração e 361 barcos de apoio em operação

Neste ano, estão em construção  18 plataformas nos estaleiros e canteiros do país, 28 sondas sondas de perfuração e  43 navios-tanque navios-tanque para óleo, gás e refinados

O Brasil tem uma reserva de 16,6 bilhões de barris de óleo

Entre 2003 e 2013, a produção de petróleo cresceu 21%, enquanto a das “petroleiras gigantes” caiu 15%

 


Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.