• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Deputado suspeito de envolvimento com doleiro » André Vargas vai renunciar nesta terça Assessoria de imprensa da direção nacional do PT confirmou a informação na noite de segunda-feira. Deputado deixa mandato pois está sendo julgado "sem direito de defesa"

Publicação: 15/04/2014 07:54 Atualização: 15/04/2014 09:24

Ele teria optado por deixar o mandato sob o argumento que está sendo julgado
Ele teria optado por deixar o mandato sob o argumento que está sendo julgado "sem direito de defesa%u201D. Foto: Luis Macedo/Camara dos Deputados

O deputado federal André Vargas (PT-PR) vai renunciar hoje ao mandato parlamentar, segundo a assessoria de imprensa da direção nacional do PT. O presidente da sigla, Rui Falcão, foi procurado ontem pelo deputado e informado da decisão. Ele teria optado por deixar o mandato sob o argumento que está sendo julgado “sem direito de defesa” e baseado em matérias de jornais e revistas com dados sigilosos de um processo judicial.

Licenciado da Câmara dos Deputados desde a semana passada por um período de 60 dias, Vargas é alvo de processo no Conselho de Ética da Casa por suas ligações com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal em 17 de março durante a Operação Lava Jato – que dissolveu um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que, segundo a PF, movimentou cerca de R$ 10 bilhões.

As relações do petista com Youssef também são apuradas por uma comissão do PT, que ouviu o deputado na sexta-feira e apresentou ontem a Rui Falcão um relato oral de sua defesa. Esse grupo, formado por três dirigentes do partido, apresenta hoje um relatório por escrito das alegações de Vargas. Com a renúncia, o petista deverá ficar inelegível até fevereiro de 2023, com base na Lei da Ficha Limpa. A regra torna inelegível por oito anos após o fim da legislatura o parlamentar que renunciar depois de protocolada representação que pode levar à cassação do mandato – o Conselho de Ética da Câmara abriu processo para investigar o parlamentar.

A aliados, o petista questiona a legitimidade do julgamento político e se diz “já condenado” nesse processo. Vargas era vice-presidente da Câmara e, na semana passada, anunciou que se licenciaria da função para “preservar a Casa”. Em discurso na tribuna do plenário da Câmara, no dia 2, o deputado admitiu que viajou de maneira “imprudente” em um jatinho fretado pelo doleiro, mas negou ilegalidade na relação com Alberto Youssef. Três dias depois, a imprensa reproduziu mensagens que ele teria trocado com Youssef para tratar de um contrato entre uma empresa e o Ministério da Saúde. Em postagens no microblog Twitter na semana passada, Vargas disse que vai provar a inocência "de cabeça erguida".

 

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Antonio neto
Se o palarmerda brasileiro fosse sério este bandido já estaria preso.. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.