• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições » PSB lança Eduardo e Marina com cautela para evitar acusação de campanha antecipada Lançamento da chapa do PSB para concorrer à Presidência da República será realizado nesta segunda-feira em Brasília

Mirella Marques

Publicação: 13/04/2014 15:00 Atualização:

Foto: Iano Andrade/CB/D.A Press
Foto: Iano Andrade/CB/D.A Press
Nesta segunda-feira (14), o PSB e a Rede Sustentabilidade vão formalizar uma aliança política "costurada", meio que às pressas, em outubro do ano passado. Apesar do caráter repentino, a chapa encabeçada pelo ex-governador Eduardo Campos (PSB), tendo Marina Silva (Rede) como vice, vem crescendo, aos poucos, nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência. Talvez por causa dessa maior visibilidade, e para evitar acusações de campanha antecipada, a legenda esteja tratando o anúncio de indicação da pré-candidatura com cautela. A começar pelo nome: ato político-cultural. O evento começa às 14h, no auditório do Hotel Nacional, em Brasília (DF).

Pela lei, uma pré-candidatura só pode ser anunciada formalmente após a homologação nas convenções nacionais dos partidos. A convenção do PSB está marcada para o dia 10 de junho. Portanto, mesmo que Eduardo e Marina sejam os escolhidos do grupo, não pode haver lançamento oficial da pré-candidatura antes disso. É por este motivo que apenas dirigentes e militantes dos quatro partidos da aliança (PSB, Rede, PPS e PPL) foram convidados para o evento em Brasília. Será um ato partidário, realizado dentro de um ambiente fechado, não aberto ao público. Cuidados tomados para que não seja configurada uma campanha antecipada.

A direção nacional do PSB, inclusive, desistiu de transmitir o evento ao vivo, pela internet. "Embora a Lei Eleitoral permita que a transmissão aconteça, decidimos evitar, para não haver problemas eleitorais", justificou o primeiro-secretário nacional do PSB, Carlos Siqueira. No total, cerca de mil convites foram distribuídos. Por enquanto, a ausência mais sentida será a do recém-empossado governador de Pernambuco, João Lyra (PSB), que era vice de Eduardo mas precisou cancelar a viagem a Brasília por causa da vinda da presidente Dilma Rousseff ao estado na mesma data. A chegada da chefe de Estado exige uma série de formalidades administrativas e, por protocolo, o governador decidiu ficar.

Coincidência ou não, uma das visitas de Dilma, no município de Serra Talhada, no Sertão do estado, está programada para acontecer no mesmo horário do anúncio de Eduardo e Marina. "Foi uma estratégia (a vinda de Dilma, candidata à reeleição, ao estado natal de Eduardo). Mas que não influenciou em nada o encontro do PSB. Daqui de Pernambuco, sairá uma caravana de cerca de 30 pessoas", afirmou o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes. Eduardo, que descansou com a família na semana passada, deve chegar neste domingo (13) à capital federal, para acertar os últimos detalhes do evento.

Os responsáveis pelo cerimonial fizeram questão de frisar que será um ato simples, discreto, onde discursarão apenas Eduardo Campos e Marina Silva. Mas, provavelmente, a palavra também será repassada ao presidente nacional do PPS, Roberto Freire, que vem marcando presença nos seminários regionais do PSB pelo país. Antes da formação da mesa, porém, haverá algumas apresentações artísticas. O ator Marcos Palmeira gravou um vídeo que será exibido para os presentes. Também haverá apresentações do pianista Arthur Moreira Lima, e do poeta pernambucano Antônio Marinho, que declamou em versos as diretrizes programáticas da chapa no último encontro da legenda, em Brasília.

Bate-papo
Após o ato, marcado para terminar às 17h, os dois pré-candidatos vão participar de um bate-papo na internet. Não é a primeira vez que Eduardo conversa com os eleitores pela internet. Em fevereiro, ele respondeu a perguntas de internautas pelo Twitter. Naquela ocasião, em cerca de 1h30, o ex-governador recebeu mais de mil tweets, entre perguntas, críticas, elogios e comentários, e deu cerca de 47 respostas. A ação é mais um indicativo de que o PSB investirá em estratégias de comunicação e marketing político voltadas para as redes sociais. Eduardo Campos é um dos mais ativos nas redes, com alta interação em seus perfis oficiais tanto no Facebook como no Twitter. No primeiro, a página dele já recebeu 697 mil curtidas. A página da presidente Dilma Rousseff tem 401 mil curtidas e a do senador Aécio Neves (PSDB), 580 mil.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Evaldo mendes
"A sorte está lançada". Estamos com vcs, EDUARDO-MARINA!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.