• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Despedida » Multidão em frente ao Palácio para se despedir de Eduardo Campos

Ana Luiza Machado

Publicação: 04/04/2014 18:11 Atualização: 04/04/2014 18:48

Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press
Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press


A frente do Palácio do Campo das Princesas está tomada de gente. É possivel ver faixas de agradecimento de vereadores e prefeitos de interior se misturando com os chapéus de palha trazidos pelos populares. A saudação inicial foi feita pelo poeta Antônio Marinho: "Dividindo a luta e o fardo fizemos de Eduardo o governador do Estado". Depois ele comparou a saída de Eduardo Campos com a do seu avô, o ex-governador Miguel Arraes. "Ele saiu pela força da opressão e você com a aprovação do povo".

O protocoloco foi quebrado e João Lyra Neto discursou antes, deixando seu antecessor encerrar a cerimônia. "Hoje depois de dois mandatos, deixo o palácio pela porta da frente. A mesma que Arraes saiu", afirmou Eduardo Campos. Ele releu trechos do discurso de posse de sete anos atrás. Se emocionou ao falar da esposa e dos filhos e da avó Madalena Arraes. Se dirigiu a João Lyra Neto e disse: "Neste tempo todo eu tive um amigo, mais que um vice".

Após lembrar da Ditadura, afirmou que temos outras questões a discutir e imprimiu o tom eleitoral, de presidenciável, na despedida. Disse que o Brasil se depara com um sentimento de que "o ciclo de crescimento precisa se renovar". Fez críticas ao Governo Federal e repetiu o que vem há meses falando: que "há um clamor para aposentar a velha política".

O ex-governador Eduardo Campos também lembrou das inquietações das ruas, demonstradas através dos protestos ocorridos em junho de 2013. "As ruas foram inequívocas na rejeição à corrupção e expressam a urgência de repensar as estruturas políticas. Os brasileiros têm o direito de contar com soluções simples e eficientes. Uma economia mais competitiva requer estratégia a fim de afastar problemas que adormecem o crescimento", discursou.

Eduardo Campos também salientou que o país reivindica mais que uma nova agenda. Que precisa e quer união. "Pernambuco se uniu e o Brasil também precisa se unir". Citou a aliança com a ex-senadora Marina Silva para construção de uma nova agenda. "Sabemos que podemos fazer mais com mais eficiência e rapidez. Sei que Pernambuco novamente vai ajudar o Brasil a encontrar novos caminhos. Saio coma  esperança de um Brasil renovado", falou o ex-governador, sendo interrompido por gritos de "Eduardo presidente".  


Confira fotos:

Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press
Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press

Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press
Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press

Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press
Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press

Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press
Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press

Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press
Foto: Andrea Cantarelli/Esp.DP/D.A Press
 

 

Informações da repórter Julia Schiaffarino, do Diario de Pernambuco

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.