• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Sob pena de multa » Romário consegue na justiça que transexual não fale sobre supostos "encontros íntimos"

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 03/04/2014 11:18 Atualização: 03/04/2014 11:39

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

Decisão judicial da 25° Vara Cível de Brasília, divulgada nesta quarta-feira (2), proíbe que Julio Campos Zampirolli, conhecido como Thalita, divulgue por meio de fotos e vídeos, ou narre fatos do "encontros íntimos" que afirma ter tido com o deputado federal Romário (PSB-RJ).

No dia 14 de março, Romário entrou com uma ação pedindo que Thalita fosse obrigada a não mencionar o nome dele, ou fazer relatos sobre sua vida íntima e privada em qualquer meio de comunicação ou rede social. Com parecer judicial favorável ao ex-jogador de futebol, Thalita terá que pagar R$ 10 mil para cada vez que descumprir a decisão.

De acordo com nota do Conselho Nacional de Justiça, Thalita não deve comentar publicamente acontecimentos “relativos ao suposto relacionamento havido entre as partes e eventualmente outras mulheres, bem como em redes sociais, sob pena de multa”.

Tudo começou em 13 de dezembro do ano passado, quando Romário e Thalita sairam de mãos dadas de uma casa de shows no Rio de Janeiro. Para a justiça, a acontecimento não dá direito à Thalita de expor o deputado, por conta da "potencialidade lesiva a direito de personalidade, ainda que o autor seja pessoa pública e alvo da curiosidade de grande parte da população".

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.