• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Eleições » Aécio desafia PT afirmando que tanto faz enfrentar Dilma ou Lula

Filipe Barros - Diario de Pernambuco

Publicação: 01/04/2014 08:47 Atualização: 01/04/2014 09:37

Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press/Arquivo
Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press/Arquivo
O movimento "volta Lula!" que surgiu entre grupos do PT e de segmentos empresariais não assusta o senador e pré-candidato ao Palácio do Planalto Aécio Neves (PSDB). Em uma palestra ministrada para empresários em São Paulo, o tucano arrancou aplausos ao dizer que "tanto faz enfrentar a presidente Dilma ou o ex-presidente Lula. O importante é derrotar esse modelo". O presidenciável falou em "reestatizar" a Petrobras, deixar a inflação para o centro da meta e não no topo, reduzir o número de
ministérios pela metade e criar Secretaria Especial Temporária para fazer reforma tributária em seis meses após vencer.

A iniciativa de defender a volta do ex-presidente Lula é de uma minoria petista, porém, empresários e banqueiros têm liderado o movimento mesmo considerando a hipótese de troca de candidatura desejável, mas improvável, exceto em uma situação de crise econômica e política aguda nos próximos meses. O presidente da Cosan, Rubens Ometto, não conta com mudança radical na política econômica caso o plano da eleição do ex-presidente se concretize. Mas esperam, ao menos, recuperar o diálogo com o Planalto.

O mau humor do mercado com o governo Dilma se deve à avaliação de que as mudanças na política econômica em relação ao governo anterior foram negativas. Em vez de incrementar a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), como desejava a presidente, o crescimento encolheu e está na menor média em 20 anos - apenas 1,8% ao ano desde 2011. Mesmo com esse ritmo fraco, a inflação se mantém próxima do teto da meta, de 6,5%, e o rombo das contas externas é o maior da história.

As chances da "volta de Lula" são remotas. Além de o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva já ter cravado que Dilma é a candidata do PT às reeleição, o partido teria dificuldades para construir um discurso, já que o próprio Lula a lançou como o melhor para o país em 2010. Aécio Neves afirmou que o momento no PT é de "turbulência e que não temo essa eleição qualquer que seja o nosso adversário."

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.