• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PRÉ-CAMPANHA » Em nova ofensiva, Eduardo Campos diz que quer preservar Petrobras Socialista defende CPI sobre empresa e critica "blindagem" feita pelo PT à investigação

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 29/03/2014 16:24 Atualização: 29/03/2014 16:49

Foto: Raul Buarque/SEI
Foto: Raul Buarque/SEI
Neste sábado (29), na cidade de Afogados da Ingazeira, no sertão do estado, ontem cumpre agenda administrativa, o governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB) voltou a pedir uma investigação mais aprofundada sobre a Petrobras. Concorrente da presidente Dilma Rousseff (PT) nas eleições de outubro, o socialista voltou a tecer críticas ao governo federal, mas afirmou que seu intuito é de preservar a estatal brasileira.

Eduardo Campos explicou a razão da oposição ao governo Dilma endossar a CPI da Petrobras. "Você não pode ver empresa perder o valor que tinha, as dívidas se multiplicarem por quatro, ver um diretor envolvido e achar que não tem que haver investigação. É uma atitude infantil não querer discutir isso de maneira tranquilo", afirmou.

De acordo com o governador e pré-candidato, o PSB defende a instalação da CPI. No entanto, ele enfatizou que não pretende fazer da comissão parlamentar de inquérito um ambiente para desestabilizar o governo federal. "O povo quer transparência. A Petrobras é a maior empresa do Brasil, uma empresa estratégica do setor de energia. O nosso partido não vai admitir que a CPI vire um palco de disputa eleitoral. Queremos apenas restaurar a credibilidade da Petrobras", discursou.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: José Silva
Esse conterrâneo é outro enganador... Ainda bem que ele não tem qualquer chance, pois mais uma vez meus ingênuos compatriotas irão reeleger outro Lula, ou seja: Dilma Lula Roussef! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.