• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Rede Municipal » De acordo com André Régis, crianças com necessidades especiais enfrentam dificuldade na rede pública recifense

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 28/03/2014 09:42 Atualização:

A Prefeitura do Recife está sendo cobrada pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal, com uma série de questionamentos sobre o cadastramento de crianças com necessidades especiais na rede de ensino.

O propósito da Comissão é saber se todas as crianças que necessitam de cuidados especiais estão cadastradas pela prefeitura, quais são os programas em andamento para atendê-las e se o município, está utilizando recursos que o governo federal disponibiliza anualmente para educação e acompnhamento destas crianças. 

Presidente da comissão, André Régis (PSDB) abordou a educação especial em uma reunião realizada na última quinta-feira (27). O evento contou com palestra da psicóloga Elny Banks, especialista naabordagem dos problemas desse segmento em escolas. A reunião contou ainda com a presença do vereador petebista Antônio Luiz Neto,ex-gestor do sistema público de ensino e estudioso dos sistemas oficiais de acolhimento e de orientação às crianças com necessidades especiais.

André Régis revelou que 95% das escolas públicas do Recife registram demandas de pais com filhos especiais e que a maior e mais frequente dificuldade que eles enfrentam é a de obter o devido laudo médico para que elas tenham uma orientação adequada visando especificamente à recuperação.

Régis advertiu que por falta do laudo que “não se sabe por que não vem sendo aplicado para que se tenha uma avaliação correta de cada caso e dessa forma se poder oferecer um tratamento correto”, as crianças e seus pais não recebem a atenção que deve existir no sentido de estender corretamente a educação especial às crianças especiais.

"Esse é um problema concreto com o qual nos deparamos em nossas inspeções na rede pública de educação do Recife. A prefeitura precisa utilizar de seus recursos técnicos e humanos para que os pais de crianças especiais consigam o laudo médico para seus filhos e dessa forma tenham o acolhimento que o poder público é obrigado a oferecer principalmente às famílias de baixa renda que dependem fundamentalmente da escola para o tratamento adequado de seus filhos especiais", destacou Régis.

Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.