• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Em São Paulo » Dilma diz que episódio de Pinheirinho não será esquecido

Agência Brasil

Publicação: 25/03/2014 14:07 Atualização: 25/03/2014 14:24

Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de assinatura de ordem de serviço para início da construção de 1.461 unidades habitacionais, do total de 1.700, do Residencial Pinheirinho dos Palmares I e II, do Programa Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de assinatura de ordem de serviço para início da construção de 1.461 unidades habitacionais, do total de 1.700, do Residencial Pinheirinho dos Palmares I e II, do Programa Minha Casa Minha Vida. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira (25) na sua conta no Twitter que o episódio de Pinheirinho não será esquecido. Ela assina, em São José dos Campos (SP), ordem de serviço que autoriza a construção de 1.461 unidades habitacionais para famílias que foram despejadas da comunidade paulista, em 2012. Segundo a presidente, as novas casas vão permitir que as famílias despejadas recomecem a vida. Os residenciais Pinheirinho dos Palmares 1 e 2 farão parte do Programa Minha Casa, Minha Vida e terão, no total, 1,7 mil unidades habitacionais.

“Sabemos que diálogo é fundamental numa democracia porque cria consensos e permite a garantia de direitos. Hoje um novo Pinheirinho está surgindo no horizonte. Estou em São José dos Campos para o início das obras do Residencial Pinheirinho. Serão 1,7 mil moradias em área regularizada, com todos os serviços públicos. Casas que vão proporcionar a cada família a oportunidade de recomeçar a vida com dignidade”, escreveu, antes do início da cerimônia.

A desocupação feita pela Polícia Militar e a posterior destruição de todas as casas erguidas no local ocorreram no dia 22 de janeiro de 2012. A medida atendeu a uma ordem de reintegração de posse da Justiça em benefício da massa falida da empresa Selecta Comércio e Indústria S/A. Cerca de 6 mil pessoas ficaram sem moradia. O caso foi levado à Organização das Nações Unidas (ONU) e à Organização dos Estados Americanos (OEA) por denúncias de violação de direitos humanos durante a desocupação.

Segundo Dilma, a partir do diálogo com movimentos sociais, os governos federal e do estado de São Paulo e a prefeitura de São José dos Campos reuniram recursos para financiar a construção dos novos residenciais. “Escreveremos juntos essa história: os moradores de Pinheirinho, com sua determinação e força e nós, do governo, com a mobilização de recursos e políticas que garantem o direito à moradia”, diz a mensagem da presidente no Twitter.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.