• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Aliança firmada » Armando Monteiro espera que PT abra caminhos para outras legendas Petebista vê aliança oficializada com os petistas como um novo trunfo para atrair outras siglas à sua frente

Franco Benites

Publicação: 25/03/2014 08:07 Atualização:

Petistas e petebistas comemoram a decisão de unirem-se em torno da candidatura de Armando ao governo do estado. Foto: Guilherme Verissimo/Esp.DP/D.A (Guilherme Verissimo/Esp.DP/D.A)
Petistas e petebistas comemoram a decisão de unirem-se em torno da candidatura de Armando ao governo do estado. Foto: Guilherme Verissimo/Esp.DP/D.A

Na sede estadual do PT, ontem, o senador e pré-candidato ao governo estadual Armando Monteiro (PTB) se sentiu em casa no evento de formalização da aliança entre as duas legendas. Em meio a brincadeiras dos anfitriões e de sua parte, o petebista declarou que a parceria com os petistas abrirá caminhos para a atração de outras legendas. “A partir da aliança com o PT, esse processo ganha uma dinâmica nova, e nossos entendimentos vão fluir de outra forma”, disse.

A expectativa de Armando é conseguir ampliar as parcerias. “Vamos trabalhar a quatro, a seis ou a oito mãos porque essa aliança está aberta à participação de muitos outros partidos. As conversas estão intensas”, reforçou. Mesmo sem querer dar pistas das negociações, ele mostrou que está mais perto do PP do que do PDT. “Respeito a ideia do PP de ter um candidato próprio, mas vamos dialogar para mostrar que é melhor ter uma candidatura única”, disse.

Sintonia

A sintonia de Armando com os petistas não ficou apenas nas brincadeiras. O petebista e a deputada estadual e presidente do PT em Pernambuco, Teresa Leitão, mostraram-se afiados nas críticas ao PSB. “Há um pouco de extravagância na movimentação dos pré-candidatos pelo fato de ele (Paulo Câmara) ainda ser secretário da Fazenda e o governador (Eduardo Campos) ainda ser governador”, criticou a parlamentar. O senador endossou as declarações. “A sociedade já percebe esses excessos”, comentou.

Armando criticou o projeto político do PSB, partido que está à frente do governo estadual há oito anos e aposta na eleição de Paulo Câmara. “O PTB e o PT têm um papel fundamental para evitar o domínio de um único grupo ou força política”, falou, intercalando suas críticas aos adversários com elogios aos petistas.

Também presdente ao encontro, o deputado federal João Paulo afirmou que a “aliança vai abalar as eleições em Pernambuco”. O petista garantiu não ter problemas em ser o candidato do partido ao Senado, mas terá que esperar até abril para ver seu nome oficializado. No dia 4 de abril, o PT receberá as inscrições dos interessados à vaga, e no dia 5, o diretório estadual dará seu parecer. Até o momento, o parlamentar foi o único a manifestar interesse pelo posto.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.