• (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Corrida presidencial » Eduardo cobra em rede social explicações de Dilma sobre caso Pasadena

Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicação: 21/03/2014 10:07 Atualização: 21/03/2014 10:21

Banner com críticas do governador a Dilma postados no Facebook: Foto: reprodução do Facebook
Banner com críticas do governador a Dilma postados no Facebook: Foto: reprodução do Facebook
Mesmo cumprindo viagem em três municípios no Sertão do São Francisco, o governador Eduardo Campos (PSB) deu uma pausa na agenda, ontem, para escrever em seu perfil do Facebook e cobrar explicações à presidente Dilma Rousseff (PT) sobre a compra da refinaria em Pasadena, nos Estados Unidos, pela Petrobras. No texto, ele diz que “o Brasil está perplexo” com “a negociação que teria lesado a maior empresa brasileira e patrimônio do país em mais de um bilhão de dólares”. “São muitas explicações que precisam ser dadas”, alfinetou o governador, um dia depois de a presidente admitir que apoiou, ainda em 2006, a compra das ações da refinaria americana, apesar de haver documentos “técnico e juridicamente falhos” aprovados pelo Conselho da estatal.

Na época da compra da refinaria, além de Dilma ser a ministra da Casa Civil, o presidente era Luiz Inácio Lula da Silva, o qual Eduardo não citou nominalmente. “Que tipo de gestão aprova um negócio assim sem analisar exaustivamente as informações disponíveis? Isso é exemplo de cuidado com os interesses da empresa e de seus acionistas, muitos deles trabalhadores que aplicaram lá seu suado FGTS? Isso é exemplo de zelo pelos interesses do Brasil e da população?”, indagou.

Segundo Eduardo Campos, a Petrobras passa por uma de suas maiores crises por conta de atitudes como essa. “Não é à toa que a Petrobras vive, hoje, a maior crise desde sua fundação. Perdeu metade do seu valor nos últimos três anos. Ela é uma empresa que já foi muito maior do que é hoje e que pode voltar a crescer a partir do momento que passe a ser bem administrada”, escreveu.

Eduardo Campos acrescentou que o Conselho da Petrobras não pode ignorar o parecer dos técnicos ao fazer operações que envolvem bilhões do dinheiro público. O governador falou no Facebook sobre o assunto em intervalo durante visita aos municípios de Petrolândia, Floresta e Serra Talhada, onde inaugurou obras de infraestrutura.

Ainda durante a viagem, Eduardo Campos poupou o ex-presidente Lula de outras críticas, um dia depois de o petista conversar com empresários no Paraná e se dizer preocupado com a possibilidade de o quadro de 1989 se repetir na eleição deste ano, com a vitória de um desconhecido que se apresentasse bem. O discurso de Lula foi interpretado como uma comparação entre o governador pernambucano e Collor, o que o socialista negou.

“O presidente Lula não fez isso. Hoje está desmentido na imprensa nacional. O presidente Lula disse, abre aspas: 'Eduardo é um dos nossos. Ele é um dos nossos. Ele é nosso amigo e nós precisamos respeitá-lo', fecha aspas”, declarou o governador, em entrevista a um blog de Petrolândia.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Jackson Silva
É uma roubalheira só. Vamos acreditar em quem. No PT, PSDB e PSB. Eis a questão. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.